Os últimos momentos de Chris Cornell em um palco | The Music Journal Brazil | MTV

ROCK

Os últimos momentos de Chris Cornell em um palco

By  | 

Chris Cornell nos deixou na noite desta quarta-feira (17)aos 52 anos.

Uma das vozes mais emblemáticas do rock e um dos últimos grandes expoentes do Grunge, aquele som de Seattle que invadiu as rádios de todo mundo e conquistou milhares de fás, morreu de uma forma muito triste: enforcado, em um banheiro e hotel na cidade de Detroit.

De acordo com o Alternative Press, as autoridades locais confirmaram a causa da morte por suicídio.

Cornell tinha acabado de realizar um grande show com o Soundgarden na cidade, no Fox Theatre. Hoje ele iria se apresentar no Rock The Range Festival em Columbus.

Nascido em 1964, ele formou o Soundgarden com o baixista Hiro Yamamoto e o guitarrista Kim Thyail em um ano que sua sonoridade talvez pudesse soar incomum para os padrões do mercado na época: 1984.

Mas o rock esperou e entre 1988 e 1991, o Soundgarden produziu trës excelentes álbuns: Ultramega OK, o disco de estreia da banda pelo selo independente SST da Califórnia, Louder Than Love (o primeiro do novo contrato com a lendária A&M Records) e Bandmotorfinger, onde os singles Rusty Cage e Outshined começavam a despontar nas rádios, principalmente, na MTV. Nesse intervalo, Cornell fez parte do grupo Temple Of The Dog que contava com integrantes do Pearl Jam, entre eles, claro, Eddie Vedder.

Época em que o movimento grunge havia se consolidado e com o amaudrecimento da banda, veio o Superunknown, o maior sucesso comercial da banda. Impulsionado por cinco hits como Black Hole Sun, Spoonman, My Wave, The Day I Tried To Live e Fell On Black Days, Cornell & Cia alcançaram o estrelato com um rock visceral e ácido, reforçando seu apelo musical e angariando novos fãs.

Foi com Superunknow que o Soundgarden conquistou cinco de discos de platina nos EUA, um disco de ouro no Reino Unido, além de alcançar o topo da parada Billboard e em outros países como Austrália e Nova Zelândia e ser indicado ao Grammy.

Chris Cornell, que também funou o Audioslave, teve uma carreira solo bem sucedida, com quatro discos lançados: Euphoria Morning (1999), Carry On (2007), Scream (2009) e Higher Truth (2015), além de Songbook (2011) gravado ao vivo. Foi indicado ao Globo de Ouro pela cançào The Keeper para o longa metragem Machine Gun Preacher além de ser co-autor de You Know My Name, tema do 007 Cassino Royale.

O rock dos anos 90, que perdeu tão precocemente Cobain, Staley e Weiland, perde agora Cornell, que deixa a esposa, Vicky Narayiannis e três filhos de 11,12 e 16 anos.

Confira abaixo, os vídeos que mostram os últimos momentos do saudoso Cornell:


É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e é membro do Grammy Latino.