Bon Jovi

Bon Jovi: novo álbum tem desempenho de altos e baixos históricos na Billboard

By  | 

O Bon Jovi é uma daquelas grandes bandas da história do rock que não precisa provar mais nada a ninguém: venderam mais de 100 milhões de discos em todo o mundo, com 13 álbuns de estúdio, 6 compilações, 3 discos ao vivo, vários hits emplacados, além de serem indicados aos mais conceituados prêmios da indústria musical e imortalizados no Hall da Fama do Rock deste ano, coroando 35 anos de uma carreira espetacular.




Enfim, mesmo com todo esse repertório de grandes trabalhos e conquistas, o inusitado sempre pode acontecer. E foi justamente com o último trabalho This House is Not For Sale que o Bon Jovi experimentou uma performance comercial ímpar: desde que foi lançado em novembro de 2016, o álbum foi direto para o número 1 da Billboard mas em uma semana, já havia caído para a posição 43 – naquela época, tornou-se um recorde. Só que depois disso, outros albuns de grupos como o LCD Soundsytem (American Dream), The Killers (Wonderful Wonderful) e Brand New (Science Fiction) tiveram quedas piores com as posições 56, 59 e 97, respectivamente.

Na semana passada, This House is Not For Sale retornou ao número 1 após 16 meses de seu lançamento original, impulsionado pela turnê de divulgação do disco com estádios e arenas lotadas. Até que um novo recorde foi estabelecido: o álbum caiu da posição 1 para a 169, quebrando todos os recordes anteriores.

This House is Not For Sale conquistou certificações de ouro e prata em países como a Austrália, Austria e Reino Unido. E apesar das quedas no referido chart, emplacar um trabalho por duas vezes no topo da parada mais importante do mundo em meio a duas quedas, sempre terá que ser lembrado como algo louvável.

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.