Connect with us
Consumo de música por streaming aumenta entre o público adulto, reporta IFPI Consumo de música por streaming aumenta entre o público adulto, reporta IFPI

MERCADO

Consumo de música por streaming aumenta entre o público adulto, reporta IFPI

Divulgação

Published

on

De acordo com a IFPI (The International Federation of the Phonographic Industry), o interesse do público adulto para consumir música em serviços de streaming como o Spotify e a Apple Music está crescendo exponencialmente. A entidade internacional realizou uma pesquisa que revela o atual consumo global e os hábitos de audição no século XXI.

Consumo de música por streaming aumenta entre o público adulto, reporta IFPI

De acordo com a IFPI, a maior taxa de crescimento para o consumo de música por streaming está entre pessoas de 35 a 64 anos, com mais da metade (54%) dessa faixa etária utilizando um serviço de streaming durante o período da pesquisa, que foi de abril a maio de 2019. Esse resultado representa um aumento de 8% em relação a 2018. Ainda de acordo com a pesquisa, vale a pena notar que os primeiros anos de streaming foram impulsionados por jovens consumidores, portanto, é de se esperar que a idade dos usuários aumente á medida que o formato se torne dominante do mercado.

A pesquisa da IFPI também revelou que o consumo de música em plataformas digitais continua crescendo e que os entrevistados, 34 mil pessoas consultadas com idades entre 16 e 64 anos em 21 países, incluindo EUA, Japão, Reino Unido, Alemanha, França, Austrália, Brasil, Canadá e México, normalmente gastam 18 horas por semana ouvindo músicas em aplicativos.

Além disso, 52% das pessoas pesquisadas entre 16 e 24 anos, utilizam serviços de streaming pagos – a mais alta de todas as faixas etárias.

“No momento em que vários formatos de mídia disputam a atenção dos fãs, eles não estão apenas escolhendo passar mais tempo ouvindo – e se envolvendo com – música, mas estão fazendo isso de diversas maneiras”, diz Frances Moore, chefe-executiva da IFPI.

MERCADO

Praticar dança é eficaz no combate à depressão, revela universidade

Brasil é recordista mundial em prevalência de transtornos de ansiedade: 18,6 milhões de pessoas sofrem com o problema

Published

on

Praticar dança é eficaz no combate à depressão, revela universidade
Divulgação

Se antes dançar era apenas motivo de descontração em festas e baladas, hoje a prática significa adquirir saúde, equilíbrio e bem-estar emocional. Dentre diversas modalidades, ela contribui na prevenção e tratamento das chamadas doenças do século. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente, 300 milhões pessoas enfrentam a depressão no mundo.

Já o Brasil é recordista mundial em prevalência de transtornos de ansiedade: 9,3% da população sofre com o problema. Ao todo, são 18,6 milhões de pessoas.

Praticar dança é eficaz no combate à depressão, revela universidade

Para evitar que o estresse do dia a dia evolua para transtornos mentais mais graves, médicos e educadores físicos propõem uma abordagem mais leve e descontraída.

“As aulas de dança trabalham ritmo, marcação e estimulam as atividades cerebrais, ao mesmo tempo em que proporcionam o convívio social e entretêm todas as idades”, esclarece a professora de Zumba e FitDance, Camila Araújo, também instrutora do Programa Rua da Gente, promovido pela Prefeitura de São Paulo em parceria com a Imelc – Instituto Movimento ao Esporte Lazer e Cultura, que disponibiliza aulas de dança gratuitas aos finais de semana.

De acordo com estudo da Universidade La Salle – realizado com mais de 265 mil pessoas de 20 países diferentes – independentemente de idade ou localização geográfica, a atividade física funciona como prevenção à depressão: “Este estudo especificamente se refere à prevenção, e não ao tratamento. Há bastante evidência na literatura de que, para pessoas que têm depressão, o exercício pode ajudar a aliviar sintomas. Mas o nosso estudo especificamente é um marco dizendo que quem não tem depressão hoje tem um risco menor de desenvolver depressão no futuro se fizer atividade física”, explica Felipe Schuch, professor da instituição.

“Enquanto o corpo acompanha a música, a mente libera substâncias como a endorfina e serotonina, que emitem sensação de felicidade, bem-estar e, consequentemente, reduzem dores crônicas e melhoram o condicionamento físico”, complementa Camila Araújo.

Como em qualquer atividade física, a produção de endorfina, serotonina, dopamina e oxitocina, hormônios conhecidos como o “quarteto da felicidade”, produzem a sensação do prazer. Por isso, a mente necessita detectar uma situação favorável e ser desligada em seguida, como ocorre na dança que possui duração necessária para a liberação dos hormônios.

“Quando dizemos que quem dança é mais feliz, estamos falando de algo comprovado pela ciência. Faz bem para a nossa saúde física, mental e emocional”, finaliza a professora de dança.

Aulas gratuitas em São Paulo

Este fim de semana, a partir das 13h, o Programa Rua da Gente e a instrutora Camila levarão animação e muita dança aos parques das zonas Leste, Norte e Sul de São Paulo. As atividades são gratuitas, incluindo aulas de Zumba, FitDance, street dance, dança de salão, além de sessões de meditação, oficinas e apresentações culturais ao ar livre.

Para saber sobre os próximos locais e horários das aulas no Rua da Gente, acesse: www.ruadagente.com.br

Continue Reading

MERCADO

Sony lança edição comemorativa do Walkman para o seu 40º aniversário

Modelo foi anunciado na IFA 2019 em Berlim. NW-A100TPS revisita o primeiro aparelho produzido em 1979

Published

on

Sony lança edição comemorativa do Walkman para o seu 40º aniversário
Divulgação

A Sony anunciou durante a IFA 2019 em Berlim uma nova versão do Walkman, o aparelho que revolucionou o mercado de eletrônicos na época e a forma como ouvimos música. O novo modelo NW-A100TPS contará com um logotipo comemorativo dos 40 anos de lançamento do aparelho original, o TPS-L2 de 1979.

Sony lança edição comemorativa do Walkman para o seu 40º aniversário

O NW-A100TPS será um lançamento especial que contará com uma interface de fita cassete exclusiva, além de ser equipado com o Android e novos recursos para audiófilos. Neste item de série, será incluído um amplificador digital S-Master HX para fornecer áudio de alta resolução e reduzir a distorção, além de um processador DSEE HX que aprimora o áudio compactado e um processador de vinil para, incorporar nas faixas digitais, o som característico do formato.

Outro ponto importante do novo Walkman é a sua bateria: ela vai durar bem mais do que os smartphones atuais, com 26 horas de duração. O novo aparelho também conta com uma porta USB-C.

A Sony ainda não divulgou a data de lançamento do NW-A100TPS e seu preço.

Continue Reading

MERCADO

Tencent procura investidores para celebrar compra da Universal Music, reporta publicação

Gigante chinesa já conversa com potenciais co-investidores para realizar a oferta de compra de 10%
à Vivendi

Published

on

Tencent procura investidores para celebrar compra da Universal Music, reporta publicação
Divulgação

A gigante de tecnologia chinesa Tencent está se aproximando de várias empresas para iniciar a oferta de compra referente a 10% da Universal Music Group que é parte da francesa Vivendi. As informações são da Bloomberg e do Digital Music News.

Tencent procura investidores para celebrar compra da Universal Music, reporta publicação

Para isso, a Tencent mantém diálogo com a Hillhouse Capital e um fundo soberano em Cingapura chamado GIC Pte. Se a empresa chinesa formar algum consórcio, espera-se que a compra seja celebrada nos próximos meses.

Ainda de acordo com a publicação, o preço de 3 bilhões de euros referente aos 10% da participação na UMG, a Tencent ainda planeja aumentar um terço por meio de financiamento por dívida, sendo o restante proveniente de investimentos em ações.

A Tencent poderá adquirir até 20% da Universal Music Group, já que a empresa possui uma opção de compra de um ano da Vivendi por 10% adicionais da UMG.

A Digital Music News também informou que as notícias sobre uma possível aquisição da Tencent sobre a UMG, colaboraram para que os preços das ações da empresa chinesa subissem 2,1% na bolsa de Hong Kong.

Continue Reading

As Mais Lidas