Connect with us
Entrevista com a DJ Cady: "Nothing Wrong é uma nova forma de olhar a vida" Entrevista com a DJ Cady: "Nothing Wrong é uma nova forma de olhar a vida"

ELETRÔNICA

Entrevista com a DJ Cady: “Nothing Wrong é uma nova forma de olhar a vida”

Divulgação

Published

on

A cantora, compositora, produtora e DJ Cady lançou nesta sexta-feira (27) o seu novo single Nothing Wrong pela Universal Music, via Liboo com distribuição digital global.

Para falar deste lançamento, a artista realizou uma entrevista exclusiva com o jornalista Marcelo de Assis para o The Music Journal Brazil onde ela também fala de sua carreira, de sua relação com a cunhada Ivete Sangalo e da concepção do single, onde a “letra é empoderadora e foi escrita para mostrar a todos sua magia e as infinitas possibilidades de escolha que temos”.

Confira:

Marcelo de Assis: Você acaba de lançar o single Nothing Wrong e eu gostaria de saber como foi a concepção dele e como se inspirou para compor ele?

Cady: Tristeza e frustração! Eu estava triste, frustrada em uma tarde e como sou uma pessoa muita alegre, muito feliz, cheia de vida e realmente não estava sendo eu naquele momento. Então, peguei papel, lápis e comecei a perceber que com certeza eu não era a única pessoa nesse planeta que estava sentindo aquilo. E através do que eu estava escrevendo, eu senti que, de alguma maneira, poderia contribuir para ajudar quem também estivesse passando por aquele momento. Então, nasceu a música.

Marcelo de Assis: E como foi colocar toda essa melancolia nela? …

Cady: Porque eu sou alegria e a música é muito alegre! Então, a intenção era exatamente essa, transformar a tristeza em alegria.

Marcelo de Assis: Para um artista que está acostumada sempre trabalhar com entusiasmo e de repente tem que gravar uma canção, de uma forma até autobiográfica, sobre um determinado momento de melancolia e dentro de uma atmosfera musical vibrante … não foi uma forma de andar na contra-mão naquele momento?

Cady: Olha que interessante sua pergunta: eu já escrevo música há muitos anos, canto há muitos anos e eu nunca tive coragem de lançar nada!

Marcelo de Assis: Porquê isso?

Cady: Total julgamento do que eu fazia! Nothing Wrong foi o momento de ruptura porque parei de jugar e quando a gente sai desse julgamento e começamos a permitir que aquilo que estamos sentindo é o que podemos dar naquele momento é uma forma de dar um passo além. Então depois dessa ruptura, eu comecei a respeitar mais a minha capacidade e ser mais verdadeira comigo e tudo bem! Existem várias músicas de momentos difíceis na minha vida, as quais eu não compartilhava com ninguém porque todos sempre me viam alegre, sorrindo, então eu ficava com receio. “Então eu vou estimular tristeza nas pessoas?” E aí eu não lançava nada, porque vivia julgando o que eu criava. E quando percebi que tudo isso estava impedindo de eu desenvolver minha criação na carreira, as músicas que eu queria compartilhar com as pessoas, eu parei. Que bobeira né? Hoje eu me encontro em um espaço de total liberdade. Eu acredito que há beleza em tudo!

Marcelo de Assis: Se conectarmos a mensagem de Nothing Wrong com essa ruptura, então ela estaria refletindo em uma pessoa que, mediante uma situação contrária,  apenas adquiriu uma forma diferente de olhar para a vida?

Cady: Completamente isso! …

 

 

 

“Hoje em dia você tem uma dinâmica que te proporciona a continuar em turnê e trabalhar novidades, além do alcance gigantesco que antes não era possível. O digital faz parte dessa evolução”

 

 

 

 

Marcelo de Assis: Você trabalhou com John Digweed (Bedrock). Me conte mais sobre essa experiência …

Cady: Foi minha primeira música! Eu vivia lá fora, voltei para São Paulo, gravei em um estúdio de um amigo meu, extremamente capaz, inteligente e a gente se unia. Eu me recordo que foi bem no inicio, quando fiz uma música com vocais africanos e o nome da música passou a se chamar Macumba Beats. E bombou!

Marcelo de Assis: tinha tudo a ver com aquela atmosfera da Bahia …

Cady: Sim. Bombou! O John Digweed estava abrindo o set dele com a minha música!

Marcelo de Assis: Como foi essa sensação?

Cady: Foi surreal porquê eu não imaginava que tudo isso poderia acontecer! E eu sempre me vi muito no mainstream e isso me deixou em certo conflito: “Poxa, mas é bem underground!”. Mas fiquei muito feliz em ver que um cara desse nível estava estava abrindo o set dele!

Marcelo de Assis: Você escuta muito música eletrônica?

Cady: Não muito …

Marcelo de Assis: O que de fato você escuta?

Cady: Eu escuto Led Zeppelin, Rolling Stones... eu escuto rock!

Marcelo de Assis: A sonoridade que se apresenta no seu novo single, não tem muito a ver com isso … esse tipo de referência musical …

Cady: Vai chegar!

Marcelo de Assis: O que temos mais para frente?

Cady: Eu tenho muita referência. Meu pai, eu sou muito grata a ele! Ele escuta de tudo e eu cresci ouvindo isso. Quando eu era pequena, meu pai tinha duas entradas de fone, uma para ele e outra para mim. Eu amo de Donna Summer a Bob Marley, Novos Baianos … esses sons me trazem a memória da pureza da minha infância e estou doida para poder recriar tudo isso.

Marcelo de Assis: Além dessa experiência com o seu pai, a Ivete Sangalo, que é sua cunhada, ela vem de um mercado musical que operava com mais abrangência o formato físico e você está produzindo um single para um mercado digital. Com essa proximidade com a Ivete, você tem esse tipo de vivência. Como você analisa esse mercado nos dias de hoje?

Cady: Houve a possibilidade de muitos artistas que não se sentiam apoiados de repente emergiram e criaram seu espaço. Antigamente eles passavam meses para lançar um álbum – ninguém lançava só single – e hoje em dia você tem uma dinâmica que te proporciona a continuar em turnê e trabalhar novidades, além do alcance gigantesco que antes não era possível. O digital faz parte dessa evolução.

Marcelo de Assis: A música eletrônica está em franca expansão no século atual em decorrência da exponenciação do mercado digital. Você acredita que com todos esses atributos, você entra no momento certo de sua carreira?

Cady: Eu tenho total certeza que este é o momento certo. A música eletrônica, principalmente em nosso país, não tinha tomado o rumo que tomou agora.

Marcelo de Assis: As suas próximas composições serão autobiográficas? Será um estilo de composição ou coisas fictícias também serão criadas?

Cady: Tem muitas coisas que hoje em dia eu não vejo mais problema em compartilhar e posso criar histórias que eu não vivi e posso criar. Não tenho limite para criação. A próxima que lançaremos, na verdade, é uma regravação de uma música famosa, um remix lindo ….

Marcelo de Assis: Aliás, é inevitável questionar se com a Ivete Sangalo você gravará um novo single …

Cady: Eu acho inevitável criarmos alguma coisa juntas. É muito amor que a gente tem! Muita admiração …

Marcelo de Assis: Vocês conversam muito?

Cady: Sim, sim … Ela é tudo aquilo que você vê! Ela é exatamente aquilo! É uma pessoa que, se você precisa dela, ela está lá! É surreal! Sou apaixonada pela pessoa dela! (emocionada)

Marcelo de Assis: É muito forte isso …

Cady: (emocionada, em pausa) …. Eu me sinto tão abençoada, tão abençoada, de conviver com uma pessoa como ela. Não deixa a desejar de qualquer outro familiar nosso ou de amigos, mas porque ela tem tudo aquilo que julgamos ser importante. E mesmo com tudo isso ela mantém a simplicidade e a verdade dela. Isso para mim é inspirador e eu sei que ela não está na minha vida por acaso. O máximo que eu puder aprender com ela, para a minha carreira, eu vou atender. O carinho que ela tem pelas pessoas, de ser humana, isso para mim é o que faz ela ser ela. Todos os que convivem comigo sempre me passam alguma coisa. Conviver com ela é exatamente isso!

Marcelo de Assis: Para um artista, um trabalho realizado é como um “filho” dele. O que vem por aí?

Cady: Marcelo, esse filho já ganhou perna, já ganhou o mundo, não tenho controle não. Sou uma mãe feliz e orgulhosa! Tem muita coisa que vem por aí!

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.

ELETRÔNICA

Pet Shop Boys anuncia novo álbum “Hotspot” para 2020

A dupla formada por Neil Tennant e Chris Lowe trabalhou em estúdio com o produtor Stuart Price

Published

on

Pet Shop Boys anuncia novo álbum "Hotspot" para 2020
Divulgação

Considerado o maior duo de música eletrônica da história da música, o Pet Shop Boys, formado por Neil Tennant e Chris Lowe, anunciou que lançará seu próximo álbum Hotspot em 2020.

Pet Shop Boys anuncia novo álbum "Hotspot" para 2020

“Nós escrevemos grande parte da nossa música nos últimos 10 anos em Berlim e foi uma experiência emocionante trabalhar neste álbum nos lendários estúdios da Hansa e adicionar uma nova dimensão em nosso som”, disse a dupla em comunicado oficial.

Hotspot contará com 10 faixas inéditas e chegará ao mercado no dia 24 de janeiro de 2020. O seu single principal, Dreamland, conta com os vocais de Olly Alexander do Years & Years e a mais recente faixa Burning The Heather tem as guitarras de Bernard Butle do Suede.

“É tão emocionante que o nosso novo single seja uma colaboração com o Years & Years, uma das bandas mais originais e de sucesso a surgir nesta década e nós realmente gostamos de escrever e gravar com o Olly Alexander”, comemorou o duo.

O Pet Shop Boys iniciaram sua bem sucedida carreira em 1981 e lançaram grandes sucessos ao longo de quase 40 anos como It´s A Sin, Left To My Own Devices, Always On My Mind, Domino Dancing, Being Boring, entre outros.

Continue Reading

ELETRÔNICA

Produtor DUX recria clássico de Elton John em “Your Song”

Canção de 1969 ganha nova roupagem eletrônica e dançante

Published

on

Produtor DUX recria clássico de Elton John em "Your Song"
Divulgação

O produtor mineiro Dux lança nesta sexta-feira (15) uma nova versão para o clássico Your Song de Elton John. O single já está disponível em todas as plataformas digitais pela Spinnin’ Records.

Produtor DUX recria clássico de Elton John em "Your Song"

Arthur Penna, o verdadeiro nome por trás de Dux, contou com as vozes de Philip Light para cantar o clássico original de 1969. Para ele, é a realização de um sonho: “Sempre tive vontade de fazer alguma versão de uma track de Elton John, um dos artistas que me inspiram musicalmente. Trabalhando no estúdio com Philip em outra track, tivemos o insight de testar os vocais de ‘Your Song’ e o resto é história. Gostei muito do resultado e espero que vocês curtam também”, conta.

Depois do grande sucesso de Hold On com Giulia Be, Dux finaliza o ano de 2019 com essa versão de Elton que respeita a original mas evidencia o talento e o toque do produtor. Mantendo a melodia e mensagem principal da música, a versão vem cheia de originalidade e é perfeita pra pista.

“Estou muito feliz com a parceria que criei com a Spinnin. Foram 4 meses entre o pedido da autorização do uso da track ao publisher do Elton John e o lançamento oficial. É um verdadeiro sonho”, acrescenta Dux.

Confira o clipe produzido com animação:

Continue Reading

ELETRÔNICA

Marshmello, Yungblud e Blackbear se unem em “Tongue Tied”

O anúncio da nova faixa foi realizado no início desta semana

Published

on

Marshmello, Yungblud e Blackbear se unem em "Tongue Tied"
Divulgação

O DJ e produtor norte-americano Marshmello se juntou ao cantor britânico Yungblud e ao rapper Blackbear para o lançamento da faixa Tongue Tied. O single já está disponível em todas as plataformas digitais pela Universal Music via Geffen Records.

Para a alegria dos fãs dos três artistas, a música chegou acompanhada de um videoclipe, que passou de 200 mil views em menos de uma hora.

Marshmello, Yungblud e Blackbear se unem em "Tongue Tied"

O anúncio da faixa foi feito no início desta semana, nas redes sociais dos músicos. A parceria inédita entre eles arrancou comentários positivos dos fãs e Tongue Tied entrou na playlist New Music Daily, do serviço de música da Apple Music.

Dirigido por Christian Breslauer e filmado em Los Angeles, o clipe mergulha os espectadores em uma realidade distópica, na qual uma força militarizada chamada Silencers usa todos os meios necessários para calar os membros da sociedade. O vídeo ainda conta com a participação especial da atriz norte-americana Joey King.

O DJ e produtor Marshmello, que surgiu em 2015, é hoje considerado um dos maiores nomes da música eletrônica. Em seus shows e suas aparições, ele veste um capacete branco em forma de mashmallow, com grandes olhos no formato da letra X, acompanhado de um sorriso um tanto quanto macabro. Apesar do anonimato, ele ganhou notoriedade com seu som contagiante e conquistou diversos fãs ao redor do mundo.

No próximo dia 23, o DJ se apresenta na China e, na véspera do ano novo, ele toca em Miami Beach, nos Estados Unidos.

Confira:

Continue Reading

As Mais Lidas