Connect with us
Entrevista com Guga Nandes: "Sou feliz de ter pessoas tão incríveis comigo"  Entrevista com Guga Nandes: "Sou feliz de ter pessoas tão incríveis comigo" 

ENTREVISTAS

Entrevista com Guga Nandes: “Sou feliz de ter pessoas tão incríveis comigo”

Divulgação | Instagram

Published

on

O cantor Guga Nandes, que assinou com a Universal Music em fevereiro deste ano, sempre teve contato com a música desde cedo. Com apenas dez anos, ele cantava no coral da igreja em que a família frequentava, no Catete, Rio de Janeiro, onde ele nasceu e mora até hoje. Dois anos depois, Guga já integrava o coro infantil da Orquestra Sinfônica Brasileira, onde ficou até os 16 anos, e teve a oportunidade de se apresentar no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e na Sala São Paulo.

Com toda essa experiência em pouco tempo, pavimentou-se o caminho para que ele entrasse de cabeça no mundo artístico.

Nesta entrevista exclusiva, Guga Nandes, fala sobre o seu novo single Presentinho, além do lançamento de seu mais recente DVD e sobre sua forma de compor, que ele afirma sempre transpor em suas letras “o que está dentro do meu coração”.

Confira:

Entrevista com Guga Nandes: "Sou feliz de ter pessoas tão incríveis comigo" 

Foto: Divulgação | Instagram

Marcelo de Assis: Guga, você está encerrando os lançamentos de seu primeiro DVD e como está sua expectativa com os lançamentos dos singles Para Não Desgrudar e Presentinho, até porque é um material importante você, não?

Guga Nandes: Com certeza! A música Presentinho foi uma surpresa para mim, uma felicidade muito grande e eu imaginava que a princípio seria um CD e depois conversei com o meu escritório em realizar um projeto audiovisual e foram surgindo as participações de grandes artistas para esta música. Então, estou muito feliz de ter pessoas tão incríveis comigo e a felicidade de ter Presentinho como a música de trabalho deste projeto.

Marcelo de Assis: Você contou com parcerias importantes na primeira parte desse projeto como Suel, Vitão, Gabily e Mumuzinho. Como que foi trabalhar com eles e como você uniu sua musicalidade com esses artistas?

Guga Nandes: Ver eles participando do meu projeto, foi uma felicidade muito grande. O Suel com sua história no pagode, sua voz marcante, Mumuzinho já fala por si só que é um cara referência da nova geração, um cara completo, ator, cantor… Para mim ele é um fenômeno e a Gabily, que está neste projeto, mostra um outro lado artístico. Eu tento sempre ligar diversas referências, diversos estilos e trazer para o meu som.

Marcelo de Assis: Por falar em outras referências, você acredita que o samba atual está preparado para dialogar com outros gêneros, Guga?

Guga Nandes: Sim, eu acredito que o samba sempre esteve muito presente, as vezes não esteve em alta, apesar de outros gêneros musicais estarem. Ele é aquele famoso “agoniza mas não morre” (risos). Mas hoje em dia, tem alcançado cada vez mais as plataformas digitais e eu vejo isso de uma maneira muito positiva, abrindo mais espaço para os novos artistas que estão chegando agora e isso é muito bom pra gente.

Entrevista com Guga Nandes: "Sou feliz de ter pessoas tão incríveis comigo" 

Foto: Universal Music

Marcelo de Assis: O samba teve um período bastante significativo na metade dos anos 1990, gerando uma série de bandas, artistas que se tornaram referência na época. Você acredita que com o advento das plataformas digitais, o samba parece que reencontrou esse caminho de protagonismo no cenário musical?

Guga Nandes: Eu acredito que esteja acontecendo uma crescente muito grande. Hoje em dia com a internet, isso tem ajudado bastante a ter mais alcance e aumentar ainda mais o espaço para o samba no mercado.

Marcelo de Assis: Tem um ponto forte em seu estilo que é o romantismo. Isso está bem sacramentado. O romantismo é um direcionamento em sua carreira? Você sempre percorrerá esse caminho?

Guga Nandes: Eu sempre fui um cara muito intenso. Se estou sofrendo, sofro demais, se estou feliz, estou feliz demais. Então tento colocar isso para fora em forma de música, falando sobre relacionamentos, sobre situações que já vivi ou meus amigos já viveram, sobre minhas ideias, mas sempre procuro puxar para o lado sentimental, o lado coração. É uma coisa que é minha, já está em mim, tanto a parte melódica e de letras também.

Marcelo de Assis: A música consegue descrever um coração quebrado por um fim de relacionamento. Serve como um desabafo?

Guga Nandes: Para mim, sim. É como um desabafo, um suspiro, de colocar para fora tudo aquilo que estou sentindo, que estou vivendo no momento. Costumo dizer que compor para mim é uma coisa muito orgânica. Eu não gosto que seja mecânica. Eu tenho que pegar o violão para colocar uma fora uma coisa que está dentro do meu coração, tanto boa quanto ruim.

 

 

“Eu sempre fui um cara muito intenso. Se estou sofrendo, sofro demais, se estou feliz, estou feliz demais. Então tento colocar isso para fora em forma de música”

 

 

 

Marcelo de Assis: O que é mais fácil ou mais difícil? Compor sobre uma verdade ou inventar uma história?

Guga Nandes: Cara ….. (silêncio e, em seguida, risos). Eu acho que para mim cara, realmente não há uma fórmula, mas acho que é mais fácil compor sobre uma história qualquer, que eu não esteja vivendo do que uma que eu esteja vivendo, sabia? É porque quando eu realmente estou sentindo, vem muitas coisas e muitas palavras na minha cabeça.

Marcelo de Assis: O seu DVD teve a direção do Júlio Loureiro. Como você avalia o trabalho dele nesta produção audiovisual?

Guga Nandes: O Júlio, que tem uma bagagem enorme de trabalho e projetos e é um cara de se admirar pela sua dedicação e carinho que ele teve com o projeto Guga Nandes. Ele sempre esteve comigo em todos os momentos e eu aprendi muitas coisas importantes com o Júlio. Muitos conselhos e dicas que ele me deu. Foi um paizão para mim. Sou muito grato por ele.

Marcelo de Assis: Qual é a sua expectativa com o lançamento deste DVD?

Guga Nandes: A expectativa que eu tenho é que a galera receba ainda melhor como foi com a música Reticências. Espero que a galera receba muito bem a música Presentinho.

Marcelo de Assis: Quando o Guga Nandes não está trabalhando, o que ele escuta em casa?

Guga Nandes: Ele escuta de tudo. Ele escuta gospel, pop, rap, hip hop, música clássica… Eu tento escutar de tudo um pouco, até porque, eu já cantei em coral da Orquestra Sinfônica Brasileira e tudo isso, de certa forma, me deu uma bagagem muito grande, então eu gosto de tudo. Eu amo música.

Marcelo de Assis: Nos tempos atuais de pandemia, muita coisa na indústria está parada. Como você tem discutido a promoção de seu novo trabalho?

Guga Nandes: Nós torcemos para que tudo isso acabe logo, o quanto antes, claro. Há um desejo muito grande de fazermos um show drive-in como já foi especulado e eu, juntamente com o meu escritório, estamos estudando a melhor maneira de realizar um projeto bem bacana, bem pensado, pensando nas recomendações, mas a galera pode esperar muitas coisas boas para esse ano.

Marcelo de Assis: Guga, foi um grande prazer falar com você!

Guga Nandes: Prazer é todo meu. Foi muito bacana conversar com você!

As Mais Lidas