ENTREVISTAS

Entrevista com o 10,000 Maniacs

By  | 

Eles são legítimos representantes da música alternativa norte-americana e ganharam notoriedade mundial com grandes álbuns nos 80 e 90. Estamos falando do 10,000 Maniacs que em junho se apresentarão no Brasil com o primeiro show em São Paulo no Espaço das Américas e em mais duas cidadesRio de Janeiro e Porto Alegre. A simpática vocalista Mary Ramsey concedeu uma entrevista exclusiva para o The Music Journal Brazil. Confira:

Marcelo de Assis: Mary, qual a sensação de se apresentar no Brasil neste ano? Me fala sobre a expectativa do 10,000 Maniacs? 

Mary Ramsey: É muito emocionante nos apresentarmos novamente em seu país. Esta será a nossa quarta apresentação no Brasil!

Marcelo de Assis: Vocês gravaram recentemente o álbum Playing Favorites e o disco, busca em seu apelo, trazer a atmosfera bem diferente da qual vocês promoveram no MTV Unplugged. É justamente esta atmosfera que o público brasileiro vai encontrar no show de vocês?

Mary Ramsey: Playing Favorites é um álbum de um show ao vivo que fizemos em Jamestown, Nova Yorkum adorável teatro. Queríamos gravar um concerto com a energia e a companhia de um público ao vivo. A platéia se tornou parte de nossa banda e do show… foi muito divertido!

Marcelo de Assis: Quando vocês gravaram Love Among The Ruins em 1997, o single More Than This fez muito sucesso, inclusive aqui no Brasil. Mary Ramsey é, de fato, uma fã do Roxy Music? Ou seria, até mesmo, uma influência em sua carreira?

Mary Ramsey: Fui e ainda sou uma grande fã do Roxy Music e do Bryan Ferry… Eu estava na faculdade quando Avalon foi lançado. Era um álbum romântico e, claro, me influenciou, pois eu sou romântica no coração (risos). Minha irmã mais velha tinha alguns dos álbuns anteriores os quais eu ouvi no colégio: Siren, Love Is The Drug...

Marcelo de Assis: Quando falamos sobre o 10,000 Maniacs é impossivel não falar do saudoso Rob Buck, até porque ele participava muito do processo criativo da banda. Como foi lidar com essa perda tão grande?

Mary Ramsey: Foi um dia muito triste quando perdemos Rob Buck. Ele era um homem maravilhosamente gentil e criativo. Nós nos consolamos escrevendo canções sobre ele e com a criação de um memorial eu sua homenagem.

Marcelo de Assis:  Como é o processo de composição na banda? Como vocês discutem isso?

Mary Ramsey: Diferentes pessoas trazem ideias de música… as vezes nós escrevemos sozinhos e, em seguida, cada membro coloca suas próprias ideias e por isso é uma colaboração em conjunto.

 

TEM MAIS NOTÍCIAS RELACIONADAS AO 10,000 MANIACS AQUI!

 

Marcelo de Assis: O último álbum de estúdio de vocês é Twice Told Tales, com canções do folk tradicional britânico. Como surgiu a ideia de gravar um disco tão específico?

Mary Ramsey: Eu tocava muita música folclórica com John Lombardo (eles formaram a dupla John & Mary), então eu costumava cantar ou tocar algumas partes dessas músicas nos shows do 10,000 Maniacs e o público respondeu muito bem. Então pensamos em fazer um CD celta. Eu encontrei dois trechos de violino de 200 anos atrás chamado Lady Mary Ramsey. Então, nós começamos o CD com um e terminamos com o outro.

Marcelo de Assis: Você escuta a música brasileira? Tem algum artista preferido?

Mary Ramsey: Eu ouço música brasileira… há tantos músicos talentosos… Eu amo Rosa Passos, Jobim, Caetano Veloso, Elis Regina, Marisa Monte

Marcelo de Assis: Você já gravou quatro álbuns com o 10,000 Maniacs como vocalista principal desde a saída da Natalie Merchant. Desde aquela época, como você avalia seu trabalho na banda e como você encarou esse grande desafio?

Mary Ramsey: Nossas gravações são um esforço em grupo. Eu gosto do processo de gravação, pois permite a criatividade espontânea. Tenho sempre um grande carinho para o nosso CD Love Amoung The Ruins.

Marcelo de Assis: Você e a Natalie ainda se falam nos dias de hoje?

Mary Ramsey: As nossas vidas são muito ocupadas, então, a muitos anos não nos falamos… pode ser que ela sinta que sua vida se distanciou em um longo tempo da banda. Como sempre eu acho que ela é incrível e tenho grande respeito por ela… foi assim que nos sentimos desde o começo.

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e é membro do Grammy Latino.