Mar Aberto

Entrevista com o duo Mar Aberto: “O melhor momento é quando estamos tocando e cantando”

By  | 

Composto por Gabriela Luz e Thiago Mart, o duo Mar Aberto recebeu o The Music Journal Brazil na sede da Warner Music Brasil em São Paulo para uma entrevista exclusiva. Esbanjando simpatia e profundo amor ao trabalho que realizam, eles falaram sobre o novo contrato com a gravadora, o lançamento do novo EP, o inicio da carreira e o carinho dos fãs.

A performance do Mar Aberto é notável: em oito meses, somam quase 200 mil inscritos em seu canal oficial no YouTube e mais de 16 milhões de views nos vídeos autorais e versões de artistas internacionais.

Recentemente, eles lançaram em todas as plataformas digitais o seu primeiro EP Acústico que conta com 5 canções autorais e que já alcançou uma marca superior a 306 mil plays mensais no Spotify.

Só a faixa Se Fosse Tão Fácil alcançou a incrível marca de 3 milhões de execuções.

Confira:

Marcelo de Assis: Como nasceu o Mar Aberto?

Gabriela Luz: Eu e o Thi nos conhecemos ha quatro anos quando eu fui fazer um disco solo e ele foi chamado para compor algumas musicas e nos sintonizamos na hora e começamos a compor varias coisas juntos.

Thiago Mart: E a amizade foi aumentando, essa sintonia, sinergia e o melhor momento do dia sempre era quando estávamos juntos tocando e cantando. E a carreira solo dando uma certa frustrada, as coisas não andavam, não aconteciam ai olhei para ela e disse: Isso é tao bom! Porquê não fazemos isso pra valer? Ai ela: “Nossa, éverdade! Vamos cantar juntos!”.

Gabriela Luz: É muito engraçado, porque ele tinha a carreira-solo dele, eu a minha, só que nunca tínhamos pensado em fazer juntos. Sempre nos juntávamos para compor, para cantar… Eu participava dos shows dele, ele participava de alguns projetos meus e nunca tínhamos pensado nisso …

Marcelo de Assis: Os “features” ja rolavam …

Gabriela Luz: Isso! Rolava! (risos)

Thiago Mart: E essa ideia foi amadurecendo muito naturalmente. O legal do Mar Aberto é isso: ter uma característica das coisas serem naturais e até necessárias – a gente precisava disso – precisamos amar a musica para faze-la, para viver disso e a gente ama de paixão e estávamos incomodados, porque (nossas carreiras-solo) não vinham dando o resultado que imaginávamos e aí veio o Mar Aberto e tudo mudou!

Marcelo de Assis: E qual foi a inspiração para o nome “Mar Aberto”

Thiago Mart: Eu sonhei que um amigo meu de infância, o qual tive uma banda com ele no inicio da adolescência, me perguntou: “Thiago, porque você não dá o nome no seu duo de “Open Mar”? E aí acordei com essa ideia, liguei para a Gabi e para o Julio que é nosso empresario e falei: “Vamos almoçar para pensar um nome?” Entramos nos carro, andei 100 metros e falei: “Galera, eu sonhei com “Open Mar!” O Julio arregalou os olhos e disse: “Open Mar… Open Mar é tipo … “Mar Aberto, né?”… Nossa, Mar Aberto! Foi o primeiro nome que surgiu efetivamente dos três e já deu certo!.

Gabriela Luz: Fomos sair para almoçar e acabamos nem indo!(risos)

Marcelo de Assis: Agora vocês assinaram com a Warner Music. Como foi a sensaçào de assinar com uma major?

Gabriela Luz: Sensação maravilhosa!

Thiago Mart: Foi um momento muito diferente …

Gabriela Luz: O Mar Aberto so tem oito meses e começamos totalmente independente, sem nada e aí conseguimos alcançar muitas pessoas durante esse tempo até chegarmos à gravadora, o que foi maravilhoso! Pensamos que uma gravadora possui uma equipe muito grande e é muito legal isso, porque iremos unir forcas para levar o Mar Aberto a outro patamar.

Thiago Mart: E eles tem uma expertise do mainstream que nos não temos e a nossa tensão sempre foi: “E se chegar o momento em que vamos estagnar no independente?” Então, sempre almejamos o radio, a televisão, as grandes mídias. Achamos que seria legal nos aliarmos a uma gravadora. E aí veio nessa época a Warner que foi muito bom para nós.

Marcelo de Assis: Então, isso ja era um anseio de vocês!

Thiago Mart: Acho que quando jovens, sim. Até porque eu venho de uma fase que era da intersecção do digital com o físico. Então havia aquela coisa de observar os midas, o que eles estavam fazendo e almejar essa coisa de estar presente em uma grande empresa de musica. Depois, conforme as coisas foram acontecendo na vida, vimos que haviam outros caminhos também e o Mar Aberto veio pensando de uma forma totalmente independente. Mas no fundo é um desejo do artista, porque traz um gabarito, traz uma série de vivências e acontecimentos que no independente não acontece.

Marcelo de Assis: Naquele momento, vocês nem dormiram, não é mesmo?

Thiago Mart: Sim! (risos) E para contar para os pais, entao?

Gabriela Luz: Contamos antes de assinar… Até demoramos para fazer isso. Fizemos um jantar, chamamos todos os familiares e dissemos: “Nos temos uma novidade para contar!…”

Thiago Mart: E foi aquele silêncio e minha mãe nos disse: “Voces vão mudar para o Rio?” (risos). Ficaram muito felizes, celebraram muito com a gente. Foi uma comoção! Eles viram tudo desde o começo do projeto e sabiam das frustrações, dos anseios que tivemos e aquele foi um momento de celebração.

 

“E a amizade foi aumentando, essa sintonia, sinergia e o melhor momento do dia sempre era quando estávamos juntos tocando e cantando.” – Thiago Mart

 

Marcelo de Assis: “Mar Aberto representa a sensação que temos quando tocamos e cantamos juntos. A certeza de que são infinitas as possibilidades dentro desse nosso universo musical” – lendo o release – Frase bem profunda! O que dá para inserir dentro desse universo musical do Mar Aberto?

Thiago Mart: Acho que tudo! Somos bastante ecléticos e tanto nos apegamos às referencias de antigamente quanto muitas coisas atuais. Costumamos dizer que o motor do Mar Aberto é conhecer coisas novas, não necessariamente coisas que estão sendo lancadas agora, mas coisas que não conhecíamos antes. Então, hà dois meses eu comecei a ouvir o Back In Black (álbum lançado em julho de 1980) do AC/DC e isso me trouxe uma energia diferente para o Mar Aberto. Traz outros ensinamentos, outras nuances, coisas relacionadas à atitude de palco, comecei a ver os shows do AC/DC, enfim,  a gente acha que cabe tudo. Somos sempre muito “parabólicos” para receber as coisas.

Marcelo de Assis: Como vocês inserem essas diferenças dentro da musicalidade do duo?

Gabriela Luz: Temos referências individuais e quando eu era muito pequena gostava de Gabriel O Pensador. Depois na minha adolescência eu ouvia Beatles, The Strokes

Thiago Mart: Eu comecei a gostar de musica com o Michael Jackson. Lembro de estar deitado na cama e havia começado o clipe de Remember The Time. Pensei: “Eu quero fazer isso!” E comecei a acompanhar muito a discografia dele e cresci ouvindo coisas diferentes como The Calling a Linkin Park e Djavan a Jorge Vercilo. Bem eclético!

Marcelo de Assis: Vocês lançaram um EP acústico com cinco canções autorais. Como foi a concepção em fazer esse álbum?

Thiago Mart: Temos uma tendência a fazer as coisas no violão. É muito natural!

Gabriela Luz: Cada música sai de um jeito. As vezes o Thi chega com o violão e diz: “Olha, pensei nisso aqui. Veja o que você acha!” ou tem uma brincadeira que fazemos também que é falar uma palavra. Eu escolho uma palavra tipo “cadeira” e aí criamos uma música em cima dessa palavra. E às vezes são coisas que não acontecem no dia-a-dia e que não fazem parte da nossa vida, mas que ficou em nosso subconsciente. Talvez a história de uma pessoa que imaginei daria uma boa musica!

Thiago Mart: E se apegando a isso, que gostamos muito de letras, cancões e dar sentido às coisas que fazemos. O acústico é muito bom porque ele não tem muitos elementos e te traz uma canção pura que, se você gosta, você gosta! E funciona muito bem! 

Gabriela Luz: Gostamos de estar perto de quem gosta de ouvir Mar Aberto. Nós respondemos todos os comentários, porquê essa ligação com as pessoas é maravilhosa!

Marcelo de Assis: Nas músicas do Mar Aberto eu vejo que vocês não se seguram muito para falar sobre o amor e notamos que o jovem de hoje parece reter um pouco desse sentimento. Como que vocês, artistas da nova safra, encaram isso?

Gabriela Luz: A gente conversa bastante sobre isso. Se você ligar a TV ou ouvir a rádio, o que não falta é noticia ruim. E nós tentamos não passar coisas ruins.

Thiago Mart: E mostrar que dá para ser leve, ser legal. Se você assiste muito à essas coisas, acaba acreditando que o mundo não é um lugar legal. Que é tudo ruim e você acha que tem que se guardar, se reservar, se fechar no condomínio, se fechar na sua casa, se fechar dentro de você. E eu não tenho nenhum receio. As pessoas falam “Musica Fofa Brasileira”. É fofa, tudo bem! Mas são coisas que agregam para somar positivamente.

 

Gostamos de estar perto de quem gosta de ouvir Mar Aberto. Nós respondemos todos os comentários, porquê essa ligação com as pessoas é maravilhosa! – Gabriela Luz

 

Marcelo de Assis: E shows?

Gabriela Luz: Teremos um show no dia 30 de setembro no Rio e estamos programando outra para outubro para o lançamento do EP.

Thiago Mart: A nossa ideia e fazer o show em um local reduzido para que a gente consiga traduzir essa característica de estarmos próximos as pessoas.

Marcelo de Assis: Ou seja, um show intimista …

Thiago Mart: Com certeza!

Marcelo de Assis: Qual artista brasileiro vocês gostariam de dividir um palco?

Thiago Mart: Roberto Carlos, sem duvida! Ele é o cara! Ele é um exemplo de sucesso.

Marcelo de Assis: Qual a mensagem vocês deixariam para os seus fãs?

Thiago Mart: Continuem nos ouvindo. Esperamos que as pessoas continuem gostando. Sempre faremos de tudo para sermos verdadeiros possíveis e com as pessoas que estão aqui. Sem querer enfeitar demais, sem ficar em uma posição de conforto ou  distante das pessoas. Sempre estaremos por perto!

Gabriela Luz: O que mais queremos e que vocês possam ir nos shows e nos dar um abraco!

Marcelo de Assis: Mar Aberto por Mar Aberto …

Thiago Mart: É o amor da minha vida!

Gabriela Luz: É a imensidão eterna!

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e é membro do Grammy Latino.