ROCK

Eric Clapton: Álbum “MTV Unplugged” completa 25 anos

By  | 

Dentre a longa carreira de Eric Clapton repleta de grandes álbuns é inegável que este, que completa um quarto de século, seja um de seus trabalhos mais importantes: Eric Clapton MTV Unplugged vai muito além do que criar releituras com a sutileza de um violão para um repertório que nasceu beneficiado por grandes composições nascidas das mãos de um dos guitarristas mais importantes da história do rock.

Este disco acústico, que foi lançado no dia 25 de agosto de 1992 pela Reprise Records, nasceu, para o bem da verdade, oito meses antes, quando foi gravado no Bray Film Studios em Windsor na Inglaterra em um 16 de janeiro daquele ano. Até aquele momento, Clapton não via um álbum seu entre os 10 melhores dos EUA. Pra ser mais exato, apenas Another Ticket de 1981, álbum que foi gravado no Bahamas e que contou com o lendário guitarrista de country Albert Lee, conseguiu o feito de participar desta honrada lista.

Pelo grande talento de Eric Clapton e em termos de mercado musical, uma década fora do mainstream comercial é uma distância abissal. Mas o rock é um livro que nunca termina e a história tratou de resolver isso.

 

Clapton convidou um timaço para trabalhar no Unplugged MTV: o baixista Nathan East (que sempre o acompanhou em turnês e gravações), Steve Ferrone, notável baterista que já trabalhou com outros grandes nomes como Duran Duran, Tom Petty, Bee Gees e Stevie Nicks, além de acompanhar o saudoso George Duke na lendária turnê do álbum Guardian Of The Light, o percussionista Ray Cooper, vindo de trabalhos com Elton John, George Harrison, Billy Joel e Rick Wakeman, o pianista Chuck Leavell do Allman Brothers, o guitarrista galês Andy Fairweather Low que havia trabalhado com nomes como Pete Townshend e Gerry Rafferty e as backings vocals Katie Kisson (Roger Waters, Elton John, Eros Ramazzotti, George Harrison) e Tessa Niles (Tina Turner, Duran Duran, Wax, Marillion, Pet Shop Boys, Steve Winwood, Liza Minnelli). Talento e versatilidade à toda prova com essa turma!

O repertório contou com algumas canções inéditas na época, além de novas versões de clássicos como Layla do Derek And The Dominoes (que foi redescoberta, completamente diferente da original) e músicas que se apresentaram como referências diretas na musicalidade de Clapton, de Son House, Jimmy Cox e Robert Johnson.

Layla foi executada a todo vapor nas rádios em todo o mundo, mas a canção que se tornou emblemática deste álbum, indubitavelmente, foi Tears In Heaven. Composta em homenagem ao filho de Clapton, Conor, que havia caido de uma janela do 53º andar do prédio onde residia, já contia uma carga emocional gigantesca e gerou grande comoção em todo o mundo. Composta em parceria com Will Jennings, ela também fez parte da trilha sonora do filme Rush.

Eric Clapton MTV Unplugged alcançou um sucesso comercial estrondoso: foram vendidas mais de 26 milhões de cópias em todo o mundo, conquistou três Grammy Awards em 1993, além de conquistar a maior certificação do mercado musical como o disco de diamante nos EUA e Canadá e uma série de discos de ouro e platina em diversos países. No Brasil, o álbum conquistou um disco de platina.

Relembre o tracklisting:

Signe
Before You Accuse Me
Hey Hey
Tears In Heaven
Lonely Stranger
Nobody Knows You When You’re Down And Out
Layla
Running On Faith
Walkin’Blues
Alberta
San Francisco Bay Blues
Malted Milk
Old Love
Rollin’and Tumblin

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.