ROCK

Jake Bugg retorna ao Brasil em março

By  | 

Jake Bugg retornará ao Brasil em 2017 para três shows da turnê do novo álbum, On My One. Uma boa notícia para os fãs do músico, que não se apresenta no país desde 2014.

Aliás, foi neste ano que ele conquistou seus fãs com seu estilo indie-folk-rock durante a apresentação no Lollapallooza Brasil e depois durante a divulgação do álbum Shangri La.

Os shows da nova turnê passarão por São Paulo (Citibank Hall) no dia 9 de março de 2017, Rio de Janeiro (Circo Voador) no dia 10 de março de 2017 e Belo Horizonte (Music Hall), no dia 11 de março de 2017.

Clientes dos cartões Citi e Diners Club terão pré-venda exclusiva no próximo dia 22 de novembro e clientes em geral a partir de 29 de novembro, para o show de São Paulo. Já para Rio de Janeiro e Belo Horizonte, os ingressos podem ser adquiridos a partir de 18 de novembro.

Em São Paulo, eles custarão de R$ 100 a R$ 400. As compras podem ser realizadas pela internet (www.ticketsforfun.com.br), nos pontos de venda espalhados pelo Brasil e nas bilheterias oficiais das casas.

Para os shows de Rio de Janeiro e Belo Horizonte, os ingressos serão comercializados pela www.queremos.com.br a partir de 18 de novembro.

Escrito e gravado quando Bugg ainda tinha 21 anos, On My One é até hoje o testemunho mais forte do talento de um dos mais prodigiosos cantores/compositores britânicos que surgiram nos últimos cinco anos. A ascensão incrível de Bugg começou em 2012, quando o álbum de estreia, que leva seu nome, entrou nas paradas do Reino Unido em primeiro lugar, fazendo dele, na época com 18 anos, o mais jovem artista britânico a conseguir o feito. Isso levou as vendas do álbum à dupla platina e lhe rendeu uma indicação ao Mercury Music Prize.

“Eu tinha apenas 18 e 19 anos quando fiz meus dois primeiros álbuns. Trabalhei com um monte de pessoas ótimas, produtores e parceiros, e aprendi muito com eles, seja em estúdio ou apenas ajudando com ideias musicais. Fazer esses álbuns era a minha versão de ir para a faculdade, minha educação musical. Quando terminei a turnê de “Shangri La”, no final de 2014, eu já tinha decidido que ia levar um ano inteiro para fazer eu mesmo o próximo álbum. Eu não estava tentando provar nada, foi apenas para o meu próprio bem. Eu vi nisso o passo à frente no meu desenvolvimento como compositor. Foi um desafio, algo que eu senti que tinha que fazer”, explicou.

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.