Legião Urbana: fitas apreendidas pela polícia civil são da Universal Music, reporta jornal  | The Music Journal Brazil | MTV
Connect with us
Legião Urbana: fitas apreendidas pela polícia civil são da Universal Music, reporta jornal  Legião Urbana: fitas apreendidas pela polícia civil são da Universal Music, reporta jornal 

MERCADO

Legião Urbana: fitas apreendidas pela polícia civil são da Universal Music, reporta jornal

Divulgação | Site oficial

Published

on

De acordo com uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira (17), a gravadora Universal Music Brasil foi ouvida no caso das fitas apreendidas pela polícia civil do Rio de Janeiro na busca por material inédito do cantor Renato Russo.

Legião Urbana: fitas apreendidas pela polícia civil são da Universal Music, reporta jornal 

Foto: Divulgação | Site oficial

Foram apreendidos 91 itens entre fitas e CD’s, todos relacionados à Legião Urbana em um depósito utilizado pela Universal Music na capital fluminense.

Afridsman Muzzy Neto, diretor financeiro e administrativo da gravadora foi ouvido pela Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial e afirmou, de acordo com a Folha, que a discográfica “não é parte da investigação e que foi surpreendida” com a apreensão do material.

Em um comunicado enviado à imprensa, a Universal Music confirmou o relato de Muzzy Neto: “A Universal Music Brasil prestou esclarecimentos na investigação, da qual não é parte, pois foi surpreendida com mandado de busca e apreensão de gravações do grupo Legião Urbana, material este de exclusiva titularidade da gravadora EMI, cujo catálogo foi adquirido pela Universal Music”.

A Universal Music também demonstrou preocupação com a guarda das fitas pois considera “que condições precárias de guarda poderão causar danos irreparáveis às fitas originais, que contém gravações do grupo Legião Urbana, produzidas e pertencentes ao catálogo da prestigiosa EMI, depositária de grande parte da história musical deste país”.

A operação da polícia civil do Rio de Janeiro iniciou após uma notícia-crime produzida por Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo, solicitando uma investigação de supostas gravações inéditas de Renato Russo, divulgadas online. As fitas, ainda de acordo com a matéria da Folha, estão com Manfredini após uma decisão judicial.

As Mais Lidas