Connect with us
Michael Jackson: lucros ocorridos após morte do artista diminuem Michael Jackson: lucros ocorridos após morte do artista diminuem

MERCADO

Michael Jackson: lucros obtidos após morte do artista diminuem

Divulgação

Published

on

A Forbes fez uma análise interessante sobre os ganhos que os representantes legais do espólio fonográfico e editorial de Michael Jackson obtiveram desde a morte do cantor em 2009. Houve uma diminuição drástica nos valores, mas que, segundo a publicação, não foram resultado do impacto das recentes alegações de abuso contra o artista como são relatadas no documentário Deixando Neverland. As questões são mais mercantis que morais.

Michael Jackson: lucros ocorridos após morte do artista diminuem

Nos últimos anos, a obra de Michael Jackson rentabilizou US$ 400 milhões, elevando seu total pós-morte para US$ 2,4 bilhões. Contudo, de acordo com a publicação, a arrecadação em 2019 foi drasticamente reduzida para US$ 60 milhões.

A Forbes explica que em 2018, os ativos de Michael Jackson resultaram em quase US$ 300 milhões depois da venda da participação do cantor na editora EMI Music Publishing. Soma-se a isto, um novo contrato de gravação com a Sony Music Entertainment e valores recebidos para que um especial de Halloween fosse realizado na emissora CBS.

E não para por aí: os totais de streaming da obra fonográfica de Michael Jackson nos EUA subiram de 1,8 bilhão para 2,1 bilhões, um aumento significativo de 17%.

Ou seja, todos os ganhos de Michael Jackson que resultavam a cada ano em US$ 100 milhões, com celebrações póstumas e lançamentos especiais após a sua morte foram concluídos.

“Michael Jackson talvez tenha sofrido um pouco demais na mão dos críticos, mas provavelmente recebeu uma quantidade igual de apoio dos fãs”, observa David Bakula, vice-presidente sênior de Insight e Analytics da Nielsen Music. “Ele continuará a crescer porque o streaming continua a crescer e porque ele tem algumas músicas pop incrivelmente populares”, concluiu.

MERCADO

Marília Mendonça inova em live que terá ação inédita de apoio aos microempreendedores

Published

on

Marília Mendonça inova em live que terá ação inédita de apoio aos microempreendedores
Divulgação

Em iniciativa inédita, a Stone se une à Marília Mendonça para fomentar o pequeno negócio no país e diminuir o impacto econômico nos negócios de pequenos empreendedores durante a quarentena para combate ao coronavírus.

A cantora sertaneja fará um show de casa, transmitido em live no YouTube, para valorizar os produtos e serviços de microempreendedores de todo o Brasil, incentivando seus seguidores a priorizarem as compras em comércios locais. A transmissão será nesta quarta-feira (8), às 20 horas.

Marília Mendonça inova em live que terá ação inédita de apoio aos microempreendedores

A ação dá continuidade ao movimento Compre local, cuide de um pequeno negócio, na qual a Stone já anunciou R$ 30 milhões em iniciativas, como isenção de mensalidade e redução de taxas, além de R$ 100 milhões em microcrédito para os donos de negócios mais atingidos com a crise.

A parceria com a cantora sertaneja busca incentivar o comércio local durante o período de lockdown, por meio de um site que disponibiliza diversas ferramentas para que os empreendedores não parem de vender nesse momento. Entre elas, há ferramenta para cobrança e pagamento, gestão das redes sociais, vouchers para restaurantes que estão com as portas fechadas e gestão de loja virtual.

Alessandra Giner, diretora de marketing da Stone, explica a escolha da Marília Mendonça para a campanha: “A cantora está, desde o início da crise, muito engajada com a causa dos empreendedores cujos negócios estão fechados em diversas cidades do Brasil. Ela começou a divulgar proativamente diversos donos de comércios precisando de ajuda. Muitos deles são os nossos clientes e parceiros de negócios, e sabemos das dificuldades que eles passam ao abrir um negócio no país. Por isso, a parceria com a cantora é uma forma de divulgarmos ainda mais esses negócios”.

A live é anunciada dias após a cantora sertaneja ser questionada pelos fãs nas redes sociais para fazer um show em casa, após outros artistas realizarem lives para animar os seguidores em isolamento social.

Continue Reading

MERCADO

Kenny Rogers: procura por “The Gambler” cresce 5.000%

Published

on

Kenny Rogers: procura por"The Gambler" cresce 5.000%
Divulgação

The Gambler, uma das músicas mais emblemáticas do saudoso Kenny Rogers, chegou a liderar a tabela de vendas de músicas digitais da Billboard depois da morte do artista em 20 de março.

Kenny Rogers: procura por"The Gambler" cresce 5.000%

O single, composição de Don Schlitz, passou três semanas na primeira posição em vários países em 1978 e alcançou a 16ª posição, vendeu 21 mil downloads na semana que terminou em 26 de março, relata a Billboard. Isso foi um aumento de 5.543%.

Este é o primeiro número 1 de Kenny Rogers na parada Digital Song Sales e a música mais antiga no topo da parada que existe há 16 anos. Esse feito também aconteceu com Purple Rain, quando Prince faleceu em 2016.

Continue Reading

MERCADO

Coronavírus: Ecad antecipa R$ 14 milhões em direitos autorais para compositores

Published

on

Coronavírus: Ecad antecipa R$ 14 milhões em direitos autorais para compositores
Divulgação

O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, o Ecad, anunciou nesta terça-feira (7) que antecipará o pagamento de direitos autorais a artistas e compositores de baixa renda. O montante será de R$ 14 milhões.

Coronavírus: Ecad antecipa R$ 14 milhões em direitos autorais para compositores

A medida emergencial acontece em meio à pandemia de coronavírus e seu objetivo é ajudar pelo menos 22 mil profissionais afetados pelos cancelamentos de shows, eventos e fechamentos de casas.

Após o período de quarentena, os valores depositados serão descontados posteriormente.

Serão beneficiados, inicialmente, os profissionais em caráter de pessoa física que não possuem rendimento médio anual entre R$ 500 e R$ 36 mil calculados nos últimos três anos (2017, 2018 e 2019).

“É por entender o momento crítico vivido pela classe artística e expressar solidariedade às dificuldades enfrentadas por todos que a gestão coletiva anuncia esta primeira ação com o intuito de garantir um suporte financeiro para a sobrevivência de elos fundamentais da cadeia produtiva da música”, disse o Ecad através de um comunicado.

Os valores serão descontados após 60 dias do fim do estado de calamidade pública e poderão ser parcelados em até 12 vezes, sem juros.

Continue Reading

As Mais Lidas