in

Ópera “Café” fará sua estreia mundial no Theatro Municipal de SP

Récita sobre o libreto de Mário de Andrade é o principal destaque do mês de maio. Adaptação de Sérgio de Carvalho, contará com a participação da Orquestra Sinfônica Municipal

Ópera “Café” fará sua estreia mundial no Theatro Municipal de SP
Foto: Rafael Salvador

Ao longo do mês de maio, o Theatro Municipal de São Paulo receberá diversas apresentações artísticas e musicais. Contando com atrações pagas e gratuitas, o teatro destaca em sua programação a ópera Café, com libreto de Mário de Andrade e sua provocação teórica por uma ópera coral, na qual grupos da sociedade fossem retratados enquanto coletividade e não enquanto indivíduos.

Com composição inédita de Felipe Senna, o libreto está situado no contexto histórico da crise de 1929 que paralisou os portos, expulsou os camponeses das fazendas e provocou uma revolução popular na sociedade. A récita está diretamente ligada às celebrações do centenário da Semana de Arte Moderna e será, depois da experiência de Hans-Joachim Koellreutter nos anos 1990, uma abordagem contemporânea e atual da obra de Mário de Andrade.

Ópera “Café” fará sua estreia mundial no Theatro Municipal de SP
Foto: Rafael Salvador

A ópera estará em cartaz entre os dias 3 e 4 e de 6 a 8 de maio e conta com a participação da Orquestra Sinfônica Municipal, sob a regência e direção musical do maestro Luís Gustavo Petri, do Coral Paulistano, sob a regência de Maíra Ferreira, do Balé da Cidade de São Paulo, do MST – Movimento Sem Terra e do Circo. Com os ingressos entre R$ 10 e R$ 120, a classificação é livre.

No dia 12, às 19h, o Quarteto de Cordas da Cidade se apresenta na Sala do Conservatório, na Praça das Artes, com o concerto Bachiano. No repertório duas músicas: Bachianas Brasileiras nº 1, Fuga: Conversa (Versão para Quarteto Matheus Bitondi) do compositor, maestro e uma das figuras mais importantes no cenário da música brasileira, Heitor Villa-Lobos, e Suíte em Si Menor, Concerto de Brandemburgo nº 5, do compositor e música alemão Johann Sebastian Bach. O concerto terá duração de 60 minutos, com ingresso a R$ 30 e classificação livre.

No dia 1º de maio a Praça das Artes recebe a exposição Psicodemia, do artista francês Antoine d’Agata, que traz um olhar visceral do artista em relação a pandemia do coronavírus, com fotografias feitas na França e uma parte no Brasil, nas cidades do Rio de Janeiro e em São Paulo.

Utilizando o escritório da Agência Magnum Photos, na França, como sua base de trabalho e moradia temporária, Antoine d’Agata saia diariamente durante a pandemia para registrar e observar a cidade, hospitais e centros de saúde. No início deste percurso Antoine adotou a “termografia” – uma câmera térmica acoplada ao telefone celular, cujo dispositivo térmico reage e converte em imagem o calor dos corpos e objetos. Sem revelar a identidade das pessoas, a termografia utilizada capta atividade dos corpos, suas “vidas”, o que está dentro.

A exposição é uma parceria com o Consulado da França em São Paulo. No dia 1º de maio, a abertura da exposição terá uma aula magna com o fotógrafo, na Sala do Conservatório, às 16h, que abordará alguns aspectos de sua trajetória e seu engajamento pessoal e político-social nos trabalhos. Além disso, falará sobre sua intensa produção durante a pandemia de covid-19. A entrada é franca e a retirada dos ingressos pelo site do Theatro Municipal.

Seguimos com a exposição Contramemória, que pretende reler e traduzir criticamente, para o contexto atual, o ambiente cultural da Semana de Arte Moderna de 1922, realizada no Theatro Municipal de São Paulo, 100 anos atrás. Além disso, a exposição conta com aproximadamente 117 obras, entre pinturas, vídeos, esculturas, desenhos, objetos, entre outras linguagens artísticas e possui a curadoria de Lilia Schwarcz, Jaime Lauriano e Pedro Meira Monteiro. Os visitantes podem apreciar essas grandes obras da cultura brasileira até o dia 5 de junho, no Salão Nobre do Theatro Municipal, além de agendamentos específicos para visitas educativas para grupos de 15 a 30 pessoas.

“A apresentação da ópera Café coroa a programação das comemorações do Centenário da Semana de Arte Moderna no Theatro Municipal, não só pelo seu caráter emblemático, por ser um texto do Mário de Andrade colocado em cena pelo Coral Paulistano, mas também pelo fato de apostarmos em uma nova composição e em uma direção cênica que atualiza a questão do coletivo com a participação de um dos mais importantes movimentos sociais brasileiros, o MST, dividindo o palco com o Balé da Cidade de São Paulo e artistas convidados.”, afirma Andrea Caruso Saturnino, diretora geral do Theatro Municipal.

No dia 15, às 11h, a Orquestra Experimental de Repertório apresenta o concerto Sinfonias Fantásticas V, na Sala de Espetáculos do Theatro Municipal. Com a participação do regente assistente Thiago Tavares, o repertório traz as músicas Noches em Los Jardines de España (23’), do compositor e pianista, Manuel De Falla e Sinfonia nº 2, Uirapuru (30’), criado pelo compositor brasileiro Mozart Camargo Guarnieri. A apresentação aberta ao público, com ingressos a partir de R$ 10.

Nos dias 17 e 19, ambos às 19h, a Praça das Artes recebe o pianista Guilherme de Almeida, na Sala do Conservatório, com o concerto Requiém à Naomi Munakata. A apresentação é mais uma homenagem à grande personalidade da música coral brasileira, Naomi Munakata.

O concerto será a improvisação pianística de um requiém em sua memória: um convite para viver uma experiência única, inspirando-se em poesias e perguntas.

Ópera “Café”, de Felipe Senna

Theatro Municipal
03/05/2022 • 20h
04/05/2022 • 20h
06/05/2022 • 20h
07/05/2022 • 17h
08/05/2022 • 17h

CAFÉ

De Felipe Senna
Ópera sobre libreto de Mário de Andrade adaptado por Sérgio de Carvalho

Orquestra Sinfônica Municipal
Coral Paulistano
Balé da Cidade de São Paulo

Luís Gustavo Petri, direção musical e regência
Maíra Ferreira, regente do Coral Paulistano
Sérgio de Carvalho, direção cênica, concepção e adaptação do libreto
Maria Lívia Goes, co-direção cênica, dramaturgia e pesquisa

Participações especiais
Juçara Marçal, mãe
Negro Leo, rapsodo
Carlos Francisco, velho camponês

Fábio Namatame, figurino
Cássio Brasil e Marcius Galan, cenografia
Sayonara Pereira, direção coreográfica
Melissa Guimarães, iluminação
Helena Albergaria, preparação de elenco
João Malatian, assistência de direção
Lincoln Antonio, consultoria em música popular

Ingressos: de R$ 10 a R$ 120
Classificação livre
Duração 90 minutos

Matéria produzida por The Music Journal Brazil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Drigo Ribeiro lança o pop caipira de "Razões"

Drigo Ribeiro lança o pop caipira de “Razões”

Jota Quest: show "Folia & Caos" será exibido no canal BIS

Jota Quest: show “Folia & Caos” será exibido no canal BIS