Connect with us
Paula Santisteban estreia clipe "Enquanto Não Passar" Paula Santisteban estreia clipe "Enquanto Não Passar"

MPB & SAMBA

Paula Santisteban estreia clipe “Enquanto Não Passar”

Divulgação

Published

on

Enquanto Não Passar é o primeiro clipe do álbum de estreia de Paula Santisteban. Lançado de forma independente com distribuição da Warner Music Brasil, no final de 2018, o projeto foi o último produzido por Carlos Eduardo Miranda (1962 – 2018). Um álbum intimista, com a sonoridade das gravações dos anos 1960, o conceito do clipe segue a mesma ideia.

“Quando começamos a falar sobre as imagens que traduziriam as músicas, Miranda me mostrou vários vídeos, um deles era com a Brigitte Bardot cantando em um barco, em Paris”, explica Paula Santisteban. “Neste vídeo, “C’est Um Jour Comme Um Autre”, ela está vestida com uma roupa bem sóbria, cantando praticamente estática em um barco em movimento. O Miranda trouxe essa ideia de que eu cantasse praticamente parada sempre com um fundo em movimento, mostrando essa resistência e também um conceito de desaceleração. Adorei a referência, as cores, tudo. Quando voltamos a pensar nos clipes resolvi chamar a Helena Wolfenson, pelo fato dela ser fotógrafa e escolhemos um parque de diversões na Zona Leste como principal locação”, conta.

O roteiro é de Edu Resing que também dividiu a direção com Helena e posteriormente montou o clipe. Alex Lopes fez a cor, com nuances muito leves e delicadas.

Confira o clipe:

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.

MPB & SAMBA

Pedra Letícia lança novo álbum autoral “Velhos Goianos Começou Risare”

Published

on

Pedra Letícia lança novo álbum autoral “Velhos Goianos Começou Risare”
Divulgação

Quem conhece Pedra Letícia sabe que a irreverência é parte fundamental da história da banda. Não seria diferente com o novo álbum, Velhos Goianos Começou Risare, que já traz em seu título o toque de sátira e ironia que são marca registrada do grupo. Lançado nessa sexta, o novo trabalho também traz canções românticas, narrativas mais profundas, provocações, além da clássica pluralidade de ritmos, que vai do country ao baião.

Pedra Letícia lança novo álbum autoral “Velhos Goianos Começou Risare”

Completando 14 anos de trajetória em 2019, o novo álbum é uma síntese da essência dos integrantes da banda, que se isolaram em uma casa litorânea para intensificar o processo de composição das novas músicas: “A gente nunca se prendeu a nada, nunca se obrigou a fazer nenhum tipo de música específica. Inclusive, nem toda música precisava obrigatoriamente ser divertida ou engraçada. Isso está espelhado no novo disco, que está bem a nossa cara”, conta o vocalista Fabiano Cambota.

A experimentação musical sempre esteve no DNA da banda, assim como as letras provocativas e questionadoras.

O álbum, gravado no estúdio Sonastério em Belo Horizonte, foi totalmente produzido pela banda com instrumentos e vocais gravados ao vivo. “Pedra Letícia é isso: quatro caras que se encontraram e que se completam de alguma maneira. Todos são muito diferentes um do outro, mas o bom humor e a tolerância é o que nos une”, conta o guitarrista Xico Mendes.

História Com Fins, com clipe em animação já lançado em julho, faz uma sátira motivacional e conta a história de uma banda que vive situações inacreditáveis para continuar existindo. Com o clima de uma boyband dos anos 1990, além de vários clichês, a canção foi composta por todos os integrantes e não resta dúvidas para quem ouve: é definitivamente uma música da Pedra Letícia.

Mentira, Verdade, Mentira foi criada inicialmente para o jingle de um comercial de cerveja que, no final das contas, acabou se transformando em uma canção do álbum. O trabalho também traz canções românticas compostas por Cambota sobre amor, relacionamento à distância e friendzone, como Se Fosse Eu e Final da Estrada, que conta com participação especial da banda Maneva e metais da Orquestra Brasileira de Música Jamaicana.

Em uma homenagem inusitada a Chico Buarque, Só o Chico Pode traz a participação de Rick Ferreira, antigo guitarrista e fiel escudeiro de Raul Seixas, tocando steel guitar. Elementos de country e saloon estão presentes em Rotina, que apresenta um clima dos anos 30 na sonoridade, retratando a realidade e os perrengues da banda com uma letra divertida.

O disco também traz maracatu em Crença, baião em O Juiz e o Jardineiro, regravação de Dr. Silvana & Cia em Êô e quarteto de cordas e voz em O Menino e o Pássaro, canção que fecha o disco com mensagem sobre saudade e liberdade, com história inspirada no livro A Menina e o Pássaro Encantado, de Rubem Alves. O processo de produção do novo álbum vai ganhar documentário de making of, que será lançado em breve nos canais da banda.

Pedra Letícia é formada por Fabiano Cambota nos vocais, Pedro Torres na bateria, Kuky Sanchez no baixo e Xiquinho Mendes na guitarra.

Ouça o álbum:

Continue Reading

MPB & SAMBA

Suricato lança a versão física de “Na Mão As Flores”

Published

on

Suricato lança a versão física de "Na Mão As Flores"
Divulgação

Chega hoje às principais lojas do país a versão física do álbum Na Mão as Flores, que foi todo composto, arranjado, tocado, interpretado e produzido por Suricato. Lançado em julho, o terceiro álbum do cantor tem Marco Vasconcellos assinando também a produção – um bonito cartão-postal folk pop de um autor maduro.

Suricato lança a versão física de "Na Mão As Flores"

A faixa-título do álbum de 11 canções já entrega uma sinceridade que permeia todo o trabalho, composto e produzido entre 2017 e 2018.

Acompanhado por mais de 12 músicos durante a trajetória do projeto, Suricato lançou dois álbuns, sempre entre o folk e o rock, antes de absorver novas influências sonoras, incluindo um toque mais eletrônico, até finalmente se assumir como “banda de um homem só”, na qual toca simultaneamente diversos instrumentos, dos pés às mãos.

Atualmente, ele também é vocalista do Barão Vermelho.

Continue Reading

MPB & SAMBA

Seu Jorge canta na primeira noite do Carnaval de São Paulo

Published

on

Seu Jorge canta na primeira noite do Carnaval de São Paulo
Divulgação

Seu Jorge dará as boas vindas ao Carnaval de São Paulo cantando seus maiores sucessos no Camarote Bar Brahma na sexta-feira, 21 de fevereiro. O camarote faz parte da plataforma O Carnaval do Coração de São Paulo, que engloba ao todo dez eventos carnavalescos, que vão de carnaval de rua até hotel temático.

Seu Jorge canta na primeira noite do Carnaval de São Paulo

O músico será a atração principal do camarote na primeira noite do desfile do grupo especial das escolas de samba, no Anhembi. Ao longo de seus 21 anos de carreira, Seu Jorge lançou oito discos e cinco DVDs. Em sua apresentação no Camarote Bar Brahma, o público pode esperar por sucessos como Carolina, Mina do Condomínio, Burguesinha e Amiga da Minha Mulher. Além das canções mais românticas como Tive Razão, Seu Olhar e Cuidar de Mim.

“É um sonho conseguir trazer o Seu Jorge para o nosso carnaval, há anos estamos tentando conciliar o convite com sua agenda. Ele tem a cara do Camarote Bar Brahma, é um mundial, com DNA brasileiro, tenho certeza que será um dos shows mais inesquecíveis de todos os tempos”, conta Cairê Aoas, diretor-executivo do Camarote Bar Brahma.

O Camarote Bar Brahma completa 20 anos de história em 2020 e promete uma edição especial. O espaço é uma experiência única e completa aos amantes do carnaval de São Paulo. Localizado no setor J do sambódromo do Anhembi, o local oferece vista privilegiada para os desfiles das escolas de samba, buffet exclusivo, open bar de chopp Brahma, whisky, gim e vodka premium, além de outros serviços como espaço relax e beauty center express.

Nos lotes iniciais, os valores variam de R$ 390,00 e R$1.690,00 e estão disponíveis no site www.totalacesso.com

Continue Reading

As Mais Lidas