Coberturas

Phil Collins faz show histórico para 40 mil pessoas em São Paulo

By  | 

Atualizado às 17:20

40 anos depois de se apresentar no Ginásio do Ibirapuera como membro do Genesis, o lendário cantor e compositor britânico Phil Collins  retornou a São Paulo e subiu ao palco do Allianz Parque na noite deste sábado (24) para realizar um show histórico para 40 mil pessoas como parte da Not Dead Yet Tour.




Um dos maiores hitmakers do século XX entrou lentamente portando uma bengala pontualmente as 21h para ser prontamente aclamado pela platéia presente que gritava ininterruptamente seu nome. Suas limitações físicas, resultado de sérios problemas na coluna que enfrenta a quase 20 anos e que impediram até mesmo que ele continuasse a tocar bateria com a sua notável virtuosidade, obrigaram a exercer o seu trabalho de uma cadeira. Aos 67 anos, com quase cinco décadas dedicadas à música, Collins dá a lição de que o show sempre deve continuar.

Impactante como deveria ser, o show começa com um de seus grandes clássicos, Against All Odds (Take A Look At Me Now), faixa-título do filme de 1984 e que se tornou o seu primeiro grande sucesso de Phil Collins nos EUA como artista solo. Ao primeiro acorde da canção, a reação da platéia foi ensurdecedora: gritos e aplausos eram misturados como sinal de uma grande recepção para o artista, o que pavimentou, em seguida, o caminho para o megahit Another Day In Paradise de 1989, do multiplatinado …But Seriously e o coro na arena palmeirense tornou-se uníssono.

A partir desse ponto, Phil Collins revisitou o inicio de sua carreira solo com I Missed Again (1981) e prosseguiu viagem com Hang In Long Enough (1990) e Wake Up Call (2003) com o trabalho de grandes músicos e colaboradores de longa data como o tecladista Brad Cole, o baixista Leland Sklar e o guitarrista Daryl Stuermer.

Phil Collins relembrou grandes momentos de sua eterna colaboração com o Genesis com as canções Throwing It All Away (1986) e Follow You Follow Me (1978) enquanto que fotos da lendária banda eram apresentadas no telão central do palco. Mas antes de empolgar os fãs presentes novamente com Invisible Touch (1986), ainda havia espaço para um dueto com a backing vocal Bridgette Briyant em Separate Lives (da trilha sonora de White Nights originalmente lançada em 1985), a empolgante Something Happened on the Way to Heaven (1990) e a introspectiva e envolvente In The Air Tonight (1981) que naturalmente deu grande destaque à excelente performance do baterista Nicholas, filho do cantor.

A inesquecível apresentação deste sábado será contada na história dos grandes concertos internacionais no Brasil que encerrou com os sucessos Easy Lover (1984) e Sussudio (1985) com uma arena repleta de efeitos visuais produzidos por sinalizadores em sua volta e fogos de artifício, mas a contextualidade da presença de Phil Collins nos palcos brasileiros deve ir muito além de registros.

Collins retornou a São Paulo testemunhando, através da celebração de sua platéia formada por jovens e veteranos, que seu apelo musical é atemporal e sua obra deve ser sempre revisitada, ao passo que ele mesmo ensina a todos que vivenciam a sua arte que não existem limitações para que a luz de um grande talento jamais cesse.

A música agradece!

Confira o repertório do show em São Paulo:

Against All Odds (Take a Look at Me Now)
Another Day in Paradise
I Missed Again
Hang in Long Enough
Wake Up Call
Throwing It All Away
Follow You Follow Me
Only You Know and I Know
Separate Lives
Something Happened on the Way to Heaven
In the Air Tonight
You Can’t Hurry Love
Dance Into the Light
Invisible Touch
Easy Lover

Encore:

Sussudio
Take Me Home

 

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.