Connect with us

O musical We Will Rock You entrará em turnê norte-americana a partir do 3 de setembro na cidade canadense de Winnipeg.

Queen: musical "We Will Rock You" entra em turnê norte-americana

We Will Rock You pretende “refletir a escala e o espetáculo que marcaram as performances ao vivo do Queen que garantiram à banda sua posição de destaque na história do rock, diz o lançamento oficial.

A produção, que começou em 2002, conta agora com um novo diretor musical, Stuart Morley, escolhido pessoalmente pelo guitarrista Brian May para supervisionar a versão atualizada.

O elenco do musical contará com Trevor Coll como Galileo, Keri Kelly como Scaramouche, Krystle Chance como Killer Queen, Alysse Ernewein como Oz, Brian Christensen como Brit, Kyle Gruninger como Khashoggi e Kevin Doe como Buddy.

Desde o inicio de sua produção em 2002, o We Will Rock You já foi assistido por mais de 16 milhões de espectadores em 19 países. A produção original contou com a supervisão de Brian May e Roger Taylor, com Ben Elton desenvolvendo uma história futurística em torno de 24 dos maiores sucessos da banda, como We Are The Champions, Radio Ga Ga, I Want To Break Free, Somebody To Love, entre outros.

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.

ROCK

Box “Conversation Piece” de David Bowie traz demos e gravações raras

Published

on

Box "Conversation Piece" de David Bowie traz dBox "Conversation Piece" de David Bowie traz demos e gravações rarasemos e gravações raras
Divulgação

Um novo box de David Bowie intitulado Conversation Piece chegará ao mercado internacional no dia 15 de novembro pela Warner Music via Parlophone Records e revisitará os primeiros anos do artista com demos, sessões de rádio e raras gravações em estúdio.

Conversation Piece inclui 12 faixas inéditas e uma nova mixagem do álbum Space Oddity.

Este lançamento celebra os 50 anos de Space Oddity e foi supervisionado pessoalmente pelo produtor e colaborador de longa data de Bowie, Tony Visconti.

Box "Conversation Piece" de David Bowie traz demos e gravações raras

“Foi muito divertido encontrar joias escondidas da musicalidade (de Bowie) com mais tempo para mixar na segunda vez”, disse Visconti em um comunicado oficial à imprensa. “Ao longo do caminho ele disse que redescobriram um toque de guitarra aqui, um toque de trombone ali, a voz de Marc Bolan (do T. Rex) em um coral e mais detalhes em geral que ignoramos todos esses anos, quando a gravadora nos deu uma semana no máximo para mixar e nos detalhes, você encontrará David Bowie, com 22 anos, que logo mais conquistaria o mundo”, disse.

Conversation Piece também contará com um livro de capa dura com 120 páginas com imagens de recordações da coleção pessoal de Tony Visconti, Ken Pitt e dos arquivos de David Bowie. A apresentação da capa foi escrita por Mark Adams, Tris Penna e Kevin Cann, além de contribuições adicionais de George Underwood, entre outros.

Confira o conteúdo completo de Conversation Piece:

April’s Tooth of Gold
The Reverend Raymond Brown (Attends The Garden Fête on Thatchwick Green)
When I’m Five
Animal Farm
Space Oddity (Version 2, with John “Hutch” Hutchinson)
Conversation Piece
Jerusalem
Hole In The Ground (with George Underwood)
Space Oddity (Morgan Studios Version – Alternative Take, with Hutchinson)
Letter To Hermione (Early Mix)
Janine (Early Mix)
An Occasional Dream (Early Mix)

Continue Reading

ROCK

Ringo Starr anuncia “What´s My Name” seu 20º álbum de estúdio

Published

on

Ringo Starr anuncia "What´s My Name" seu 20º álbum de estúdio
Divulgação

Ringo Starr acaba de anunciar seu 20º álbum de estúdio, What’s My Name, que será lançado pela Universal Music via Roccabella, nas plataformas digitais, no dia 25 de outubro de 2019.

What’s My Name é o lançamento mais recente de uma série de álbuns sinceros e genuínos que Starr produziu em seu estúdio em casa, com um elenco distinto, mas sempre em constante mudança, e muitas vezes repetindo os personagens musicais e amigos, tocando junto com Ringo, como Paul McCartney, Joe Walsh, Edgar Winter, Dave Stewart, Benmont Tench, Steve Lukather, Nathan East, Colin Hay, Richard Page (Mr. Mister), Warren Ham, Windy Wagner, Kari Kimmel, entre outros.

Ringo Starr anuncia "What´s My Name" seu 20º álbum de estúdio

Para Ringo, gravar em sua casa, conhecida como Roccabella West, tornou-se um modo de vida bem-vindo e produtivo. “Não quero mais estar em um estúdio de gravação antiquado. Eu já tive o suficiente da grande parede de vidro e da separação. Estamos todos juntos aqui, quem eu convidar. Este é o menor clube da cidade. E eu adoro estar em casa, poder dizer oi para a Barb (sua esposa, Barbara Bach), tem sido muito bom para mim e para a minha música”, explica Starr.

Com a ajuda dos muitos rostos familiares que aparecem no álbum e nos créditos, além da gravação e mixagem de Bruce Sugar, What’s My Name reflete o desejo de Ringo em manter sua música caseira, tornando-a fresca e vital, seja introduzindo novos colaboradores, como o compositor Sam Hollander, ou por ser mais aberto e gravar músicas que ele não escreveu, coescreveu ou, em um caso, não produziu.

“O pessoal do Sam Hollander procurou Bruce Grakal, meu advogado, e disse: Sam gostaria de dizer ‘oi’ para Ringo . E eu disse ao Sam para aparecer. Depois escrevemos uma música juntos, Thank God For Music. Então Sam ligou e disse: acho que tenho outra música e eu respondi: deixe-me ouvi-la. Ele tinha escrito a música toda, uma canção sobre as coisas que eu disse em uma entrevista para a Rolling Stone. Eu amei o sentimento que ele mostrou – tinha um verso sobre passar muito tempo em hospitais, mas eu não queria cantar esse verso – um verso sobre compaixão. Sam veio e eu coloquei os vocais e disse: você produz esta, mas Sam disse: Bem, você vai tocar bateria. Então, eu entrei e toquei duas vezes. Eu gosto de fazer dois takes, duas gravações. E ele pegou Better Days e conseguiu.”

Ringo Starr anuncia "What´s My Name" seu 20º álbum de estúdio

A faixa-título e primeiro single do novo álbum – What’s My Name – é um hino empolgante, escrito por Colin Hay (ex-Men At Work), que retornou ao All Starr Band no verão passado, transformando um canto familiar dos shows ao vivo de Ringo em um empolgante rock com a certeza de ser uma futura canção para agradar multidões.

“Esta foi a terceira vez de Colin Hay na All Starr Band. E um amigo me contou que, sem o meu conhecimento, Colin escreveu uma música anos atrás chamada What’s My Name. Eu disse: traga-a aqui para casa e vamos ouvi-la. Mais tarde ouvi dizer que Colin não conseguiu encontrá-la! Ele escreveu a canção há seis anos e a colocou em alguma pilha. Mas ela acabou no fundo de uma gaveta. Então Colin veio, a tocou para mim e eu adorei. Eu amei os versos e todo o seu sentimento. Com toda a honestidade, não há muitas pessoas que podem se perguntar What’s My Name? em uma canção. Se você já esteve no show, já conhece a música. Eu sou abençoado porque a maioria das coisas que vêm para mim são paz e amor. Ainda existem sempre provações e tribulações. Mas eu sinto na vida que é assim que o sol brilha. Sou abençoado. Eu sempre tenho a mesma conversa – uma audiência pode ser atormentada. Mas damos a eles tudo o que temos. Damos um ao outro tudo o que temos. E às vezes não é suficiente. Mas na maioria das noites é tudo. Vou tocar o melhor que puder para você. E você toca o melhor que puder para mim. É tudo o que eu posso pedir.”, encerrou.

No entanto, a peça central emocional de What’s My Name é a versão profundamente sensível de Starr em Grow Old With Me, de seu grande amigo John Lennon. Esta é uma performance para a história, que se tornou ainda mais poderosa e emocionante quando percebemos que Ringo é abençoado por ainda estar vivendo o sonho de envelhecer com a pessoa que ama de uma maneira que seu amado amigo John estava imaginando com Yoko quando ele escreveu essa canção nos anos anteriores à sua trágica morte. Como Starr observa com um sorriso caloroso, “ainda estou vivendo esse sonho”.

Para Ringo, a inspiração para gravar Grow Old With Me veio quando ele encontrou o notável produtor Jack Douglas, que produziu com John Lennon e Yoko Ono o álbum Double Fantasy, entre outras gravações clássicas: “Jack perguntou se eu já tinha ouvido The Bermuda Tapes, as demos de John daquela época”, recorda Ringo. “E eu nunca tinha ouvido sobre isso. A ideia de que John falava de mim naquele tempo antes de morrer, bem, sou uma pessoa emocional. E eu simplesmente amei essa música. Eu cantei da melhor maneira que eu pude. Eu faço o meu melhor quando penso em John tão profundamente. E eu fiz o meu melhor. Nós fizemos o nosso melhor. A outra coisa boa é que eu realmente queria que Paul tocasse esta música conosco, e ele disse que sim. Paul veio e tocou baixo e canta um pouco comigo. Então, de certa forma, John está também nela. Eu estou nela e Paul está nela. Não é um golpe publicitário. Isto é exatamente o que eu queria. E os arranjos de cordas que Jack providenciou para esta faixa, se você realmente a escuta, elas fazem a linha de Here Comes The Sun. Então, de certa forma, somos nós quatro.”

What’s My Name é preenchido com outras colaborações e inspirações de destaque – começando com a faixa de abertura, o rock Gotta Get Up To Get Down, que Starr coescreveu com seu cunhado e parceiro musical de longa data Joe Walsh. “Eu tenho feito música com Joe muito antes de nos tornarmos irmãos. Meses atrás, estávamos jantando com Klaus Voorman, e por algum motivo, eu falei: ‘Well, you gotta get up to get down’. Joe olhou para mim e disse: “Sabemos que esse é o título, então vamos escrever uma música sobre isso. E foi assim que aconteceu. A parte de Edgar Winter nessa faixa é simplesmente incrível! Edgar é sempre incrível, mas ele sempre se destaca para mim”, disse Starr.

Outras faixas incluem: You’ve got to get up to get down co-escrita com Steve Lukather membro a um longo tempo da All Starr e frontman do Toto: “Eu escrevi essa com Steve Lukather, que é mágico. Cometi um erro ao dizer a Steve: você é meu último melhor amigo e estamos vivos até hoje. E ele é um cara bonito. Às vezes, ele se faz de durão, mas ele é um cara muito sentimental. Trabalhamos bem juntos. E ele é ainda melhor quando não está tocando mil notas por minuto – o que ele pode fazer. Ele é o cara. Eu amo esse cara. Não conte a ele. Às vezes, Steve fica feliz em tocar comigo e eu digo: ‘Você está se divertindo muito’”.

Confira as canções de What´s My Name:

Gotta Get Up To Get Down (Richard Starkey, Joe Walsh)
Its Not Love That You Want (Richard Starkey, Dave Stewart)
Grow Old With Me (John Lennon)
Magic (Richard Starkey, Steve Lukather)
Money (That’s What I Want) (Berry Gordy, Janie Bradford)
Better Days (Sam Hollander)
Life Is Good (Richard Starkey, Gary Burr)
Thank God For Music (Richard Starkey, Sam Hollander)
Send Love Spread Peace (Richard Starkey, Gary Nicholson)
What’s My Name (Colin Hay)

Continue Reading

ROCK

R.E.M: “Monster” ganha edição deluxe de 25 anos em novembro

Published

on

R.E.M: "Monster" ganha edição deluxe de 25 anos em novembro
Divulgação

A Craft Recordings relançará o álbum Monster do R.E.M. em comemoração aos 25 anos de seu lançamento. O aclamado nono álbum da banda formada por Michael Stipe, Mike Mills, Peter Buck e Bill Berry foi remasterizado por Greg Calbi na Sterling Sound e será disponível para o mercado internacional em vários formatos no dia 1º de novembro.

R.E.M: "Monster" ganha edição deluxe de 25 anos em novembro

Monster ganhará uma edição em box deluxe com 5 CD´s e um Blu-ray que incluirá o álbum original, um remix especial de 2019 realizado pelo produtor Scott Litt, um CD de demos inéditas e uma performance ao vivo do R.E.M. realizada em 1995 na cidade norte-americana de Chicago. O áudio é de alta resolução em 5.1 Surround Sound e conteúdo audiovisual também apresentará o filme Road Movie, um documentário da banda realizado em 1995 e todos os seis clipes de divulgação de Monster.

A edição de 25 anos também contará com um livro de cinco polegadas e meia com anotações do jornalista Matthew Perpetua, que disponibilizará aos fãs novas informações dos membros da banda e fotografias de arquivo. Uma edição ampliada de Monster oferece o álbum original e a versão remixada de 2019, que também estará disponível em vinil duplo de 180 gramas ou 2 CD´s, ambas com capas reimaginadas pelo designer de longa data da banda, Chris Bilheimer.

Na época em que Monster foi lançado, o R.E.M. já havia lançado dois grandes álbuns que colocaram a banda no mainstream: o Out Of Time de 1991 e Automatic For The People de 1992. Esses dois trabalhos que ganharam elogios da critica mundial e renderam os megahits Losing My Religion, Man On The Moon e Everybody Hurts. A concepção de Monster estava focada em uma mudança sonora da banda, com sons mais ácidos que de seus álbuns anteriores, repletos de baladas e sons acústicos. Peter Buck relembrou aquele momento: “Estávamos tentando nos sentir como uma banda diferente… Queríamos fugir de quem éramos.”

Uma prova disso é What´s The Frequency, Kenneth?, que resultou em uma série de distorções de guitarra e efeitos, além de sua letra falando da farsa da mídia e do marketing na época da geração X. O disco também revelou dois momentos difíceis: na canção Bang and Blame que apresentou Thurston Moore do Sonic Youth e a atriz Rain Phoenix – esta, irmã de River, que faleceu em 1993 e teve Monster dedicado a ele – e Let Me In, uma homenagem a Kurt Cobain, líder do Nirvana, morto meses antes do lançamento deste álbum. “É o lançamento catártico de Michael em resposta à perda de um bom amigo e de alguém com quem todos nós sentimentos criativamente alinhados”.

O R.E.M. se aproxima de seus 40 anos de carreira em 2020 e já lançou um total de 15 álbuns de estúdio, conquistando por três vezes o Grammy e foi introduzido no Hall da Fama do Rock em 2007.

Confira o conteúdo completo da reedição histórica de Monster:

Monster: Deluxe Box

Disco 1 (CD) – Monster (Remastered)

What’s The Frequency, Kenneth?
Crush With Eyeliner
King Of Comedy
I Don’t Sleep, I Dream
Star 69
Strange Currencies
Tongue
Bang And Blame
I Took Your Name
Let Me In
Circus Envy
You

Disco 2 (CD) – Monster (Demos)

Pete’s Hit
Uptempo Mo Distortion
Uptempo Ricky
Harlan County with Whistling
Lost Song
AM Boo
Mike’s Gtr
Sputnik 1 Remix
Black Sky 4-14
Revolution 4-21
Rocker with vocal
Time Is On Mike’s Side
1Experiment 4-28 no vocal
Highland Fling 4-29
Cranky 4-29

Disco 4 (CD) – Monster (Remixado)

What’s The Frequency, Kenneth? (Remix)
Crush With Eyeliner (Remix)
King Of Comedy (Remix)
I Don’t Sleep, I Dream (Remix)
Star 69 (Remix)
Strange Currencies (Remix)
Tongue (Remix)
Bang And Blame (Remix)
I Took Your Name (Remix)
Let Me In (Remix)
Circus Envy (Remix)
You’ (Remix)

Disco 4 (CD) – Live in Chicago 6/3/95 – Monster 1995 Tour (Parte 1)

What’s The Frequency, Kenneth?
Circus Envy
Crush With Eyeliner
Near Wild Heaven
Welcome To The Occupation
Undertow
I Took Your Name
Strange Currencies
Me In Honey
Revolution
Tongue’
Man On The Moon
Country Feedback
Monty Got A Raw Deal

Disco 5 (CD) – Live in Chicago 6/3/95 – Monster 1995 Tour (Parte 2)

Losing My Religion
You
Departure
Orange Crush
Get Up
Star 69
Let Me In
Everybody Hurts
So. Central Rain (I’m Sorry)
Pop Song 89
Its The End Of The World As We Know It (And I Feel Fine)

Disco 6 (Blu-ray)

Monster – 5.1 Surround Sound
Monster – Hi-Resolution Audio
Road Movie (concert film)
What’s The Frequency, Kenneth? (music video)
Crush With Eyeliner (music video)
Star 69’ (music video)
Strange Currencies (music video)
Tongue (music video)
Bang And Blame (music video)

Continue Reading

As Mais Lidas