Connect with us

O cantor britânico Sam Smith pede aos seus fãs que sejam “gentis” com o seu novo trabalho de estúdio The Thrill Of It All lançado nesta sexta-feira (3) pela Capitol Records.

O artista de 25 anos, que já emplacou o primeiro hit de seu novo disco Too Good At Goodbyes, emitiu um comunicado em áudio através de seu site oficial, o qual ele deseja que este trabalho seja bem recebido pelo público.




“Estou enlouquecendo porque o álbum estará disponível amanhã”, inicia o áudio gravado em sua residência em Londres. “Mas estou animado para você ouvir ele. Eu derramei meu coração e minha alma em cada linha. E eu realmente queria aproveitar esse tempo também para agradecer. Obrigado por me dar esse 1 ano e meio para estar em casa e escrever este álbum”, disse.

“Espero que vocês gostem mas sejam honestos se não gostarem. Mas sejam gentis ao mesmo tempo. Eu não acredito que meu coração ficaria com isso”, explica.

The Thrill Of It All é o relato da vida pessoal de Sam Smith durante o período em que alcançou o estrelato mundial e sua experiência com esta nova etapa profissional: “Eu não sei se sempre serei tão pessoal novamente na música, porque eu realmente tive que ir a um lugar estranho para tê-la. Eu estava em um lugar obscuro”, revela.

“Agora estou começando a ser mais feliz”, completa o artista.

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.

POP

Pocah participará do evento Warner Pride 2020

Published

on

Pocah participará do evento Warner Pride 2020
Ricardo Brunini

A cantora Pocah, um dos maiores nomes do funk no Brasil, participará neste sábado (4) do Warner Pride 2020, que começa a partir das 18h. O evento é realizado anualmente pela Warner Music Group em todo o mundo.

Pocah participará do evento Warner Pride 2020

Foto: Ricardo Brunini

O Warner Pride visa chamar a atenção para o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, celebrado no último 28 de junho. Neste ano, a edição brasileira acontece em formato digital e será transmitido pelo canal da Warner Music Brasil no YouTube.

Além de Pocah, o evento também contará com Elana Dara, Nick Cruz, Ludmilla, a americana Ava Max e a dupla mexicana Jesse & Joy.

Além das apresentações, as estrelas Dua Lipa, Ava Max e muitos outros representantes da causa LGBTQIA+ deixarão um recado especial para o público brasileiro.

A transmissão também apresentará painéis com o tema Transformação e (novos) Desafios para a comunidade LGBTQIA+.

Continue Reading

POP

Gaab firma parceria com produtor americano Mahogany Beatz

Published

on

Gaab firma parceria com produtor americano Mahogany Beatz
Divulgação | Texto Mais Ideias

O cantor Gaab está em estúdio gravando novas músicas com o produtor norte-americano Mahogany Beatz que está no Brasil há cerca de três meses e juntos estão criando músicas que possam “representar o Brasil no mundo”, segundo o artista brasileiro.

Gaab firma parceria com produtor americano Mahogany Beatz

Fotos: Divulgação | Texto Mais Ideias

Mahogany começou a carreira produzindo nada menos que para o rapper Jay-Z, umas das principais referências da música americana, e com ele conquistou um Grammy. Feito que se repetiu também na parceria com a cantora Mariah Carey, ícone do R&B.

Acostumado com as superestrelas americanas, Mahogany também já se familiarizou com a musicalidade brasileira. Trabalhou em projetos com DJ Dennis, Ludmilla, Mc Kevin, Mc IG, Mc Ph, Luccas Carlos, Bivolt e DJ Cia. Produzindo pela primeira vez com Gaab, ele destaca a criatividade do cantor.

“Gaab tem uma mente aberta e por isso é tão fácil trabalhar com ele, nós respeitamos as idéias um do outro, é como se nossas mentes estivessem conectadas o que torna essa parceria muito natural”, disse Mahogany.

Gaab e Mahogany se conheceram no final de 2019, declaradamente apaixonado pela cultura e música brasileira, com uma menção especial ao funk, o produtor estava no Brasil trabalhando com a cantora Ludmilla, quando surgiu a oportunidade de conhecer o artista brasileiro..

“Ele já tinha gostado da minha vibe antes de me conhecer e eu já tinha curtido algumas músicas produzidas por ele. Nos conhecemos e começamos a se envolver no estúdio, começamos a nos conectar musicalmente”, conta Gaab.

E dessa conexão, até agora já foram gravadas seis faixas, ainda sem data de lançamento. As músicas trazem letras com uma mistura de influências brasileiras e americanas, e as letras são cantadas em inglês e português. “Mahogany é apaixonado pela nossa cultura e para mim, é uma oportunidade de vestir a camisa e representar o meu país lá fora”, completa o cantor.

Sobre esse período no Brasil, o produtor norte-americano diz que tem aproveitado para pensar positivo e ser produtivo: “A quarentena me fez pensar positivo, porque sei que o mundo está se concentrando tanto no negativo, que decidi fazer o contrário. Estou aproveitando esse tempo no Brasil e trabalhando com minha família musical LEGADO. Sei que estamos fazendo história e estamos apenas começando. Eu amo o Brasil”, concluiu.

Continue Reading

POP

Val Marchiori é condenada a pagar R$ 30 mil à cantora Ludmilla por racismo

Published

on

Val Marchiori é condenada a pagar R$ 30 mil à cantora Ludmilla por racismo
Danilo Borges

A socialite Val Marchiori foi condenada a R$ 30 mil à cantora Ludmilla por um caso de racismo. As informações são da coluna de Ancelmo Gois do jornal O Globo.

Val Marchiori é condenada a pagar R$ 30 mil à cantora Ludmilla por racismo

Foto: Divulgação | Danilo Borges

O processo judicial teve seu inicio em 2016. Naquela época, Ludmilla desfilava como rainha da bateria do Salgueiro e Val Marchiori era uma das apresentadoras do Carnaval na RedeTV. Em um determinado momento, Marchiori, ao comentar sobre o visual de Ludmilla disse: “A fantasia está bonita, a maquiagem… agora, o cabelo… Hello! Esse cabelo dela está parecendo um bombril, gente”.

Val Marchiori disse que chegou a pedir desculpas a Ludmilla: “Pedi desculpas para ela. Mas olha como ela foi “mais” racista que eu: Mais racista, não, porque eu não sou racista… Mas enfim: ela estava lá no barco com a família dela. Fui até ela pedir desculpas. Sabe o que ela fez? Virou as costas para mim e saiu nadando. Mas tudo bem, é um direito dela”, afirmou a socialite durante uma entrevista ao canal Na Lata.

Ludmilla explicou porque nao aceitou as desculpas, em uma mensagem no Twitter: “Mas é claro que eu virei as costas. Ela pediu pro marinheiro dela começar a filmar e me chamou. Quando eu estava indo, meus amigos me alertaram e eu voltei. Segundos depois saiu a manchete no site Ego (lembro perfeitamente) e ainda bem que não fui. Desculpas com o telão ligado é mole”, disse.

Continue Reading

As Mais Lidas