Connect with us
School Of Rock expande negócios e abrem nova filial em São Paulo School Of Rock expande negócios e abrem nova filial em São Paulo

MERCADO

School Of Rock expande negócios e abrem nova filial em São Paulo

Com mais de 30 mil alunos em 10 países diferentes e mais de 250 franquias abertas, a famosa
instituição de ensino musical ganha novo endereço no Itaim Bibi

Divulgação

Published

on

Com mais de 30 mil alunos em 10 países diferentes e mais de 250 franquias abertas, a School of Rock é uma escola de música para todos os níveis, idades e aspirações musicais. Os programas de música são projetados para incentivar a aprendizagem em um ambiente de apoio em que os alunos possam se sentir confiantes e motivados.

A paixão por música fez com que o guitarrista Gui Cicarelli abrisse uma nova filial da escola em São Paulo, no Itaim Bibi, ao lado de outros dois sócios: Fabrício Anias e Iñaki Iriarte. O grand opening da escola, que já está em funcionamento, acontece no dia 30 de novembro das 13h às 20h, na sede do empreendimento (Rua do Consórcio, 139), com apresentação musical dos alunos, jam sessions, gastronomia e recreação infantil. Gui, que segue agora sua carreira autoral na cena musical de blues rock, será o diretor musical da escola.

School Of Rock expande negócios e abrem nova filial em São Paulo

Tendo como lema “O palco é o melhor professor”, a escola dialoga com o método lúdico e inovador de ensinar música, que une teoria e prática. Além das aulas de instrumento, os alunos também passam pela experiência prática de montar bandas entre si e tocar diretamente no palco, fator que ajuda a desenvolver performance, desinibição, interação com a equipe, comunicação com o público e linguagem corporal.

A nova filial oferece aulas principais como bateria, baixo, guitarra, vocal e teclado, além de aulas por demanda de gaita, ukulele e saxofone.

Semestralmente, a escola indica um tema para o programa de performance a ser realizado pelos alunos. O tema atual é Rock Fest, em que cada banda escolhe um festival de música da história mundial para reproduzir, como Rock in Rio ou Woodstock. O objetivo é oferecer o mais próximo possível de uma experiência real, com direito a figurino, repertório e até a interação entre os integrantes originais, além do arranjo musical do show de temporada, que acontece ao final de cada semestre do programa em casas de show renomadas de São Paulo.

“Tanto quanto saber tocar ou cantar, é importante também cativar a plateia no show. É assim que conseguimos construir um verdadeiro artista”, comenta Gui. Além da School of Rock no Itaim, os três sócios também planejam abrir outra filial no ano que vem.

A School of Rock foi fundada em 1998 na Filadélfia por Paul Green, que abandonou os métodos convencionais de ensino musical para dar foco na prática e na performance de palco, ensinando os alunos a tocar qualquer gênero musical, do rock’n roll ao sertanejo.

Paulo Portela é o Master Franqueado da escola no Brasil, que já conta com 18 escolas em todo o país e um posto avançado em Porto Alegre. A empresa foi considerada pela revista Entrepreneur como a franquia musical número um nos Estado Unidos, desenvolvendo um modelo de Master Franquia totalmente desenhada para o mercado brasileiro.

Gui Cicarelli foi o responsável por idealizar e colocar em prática o School of Rock Day, com show especial de duas house bands selecionadas, ou seja, bandas formadas pelos melhores alunos de cada escola. O próximo evento acontece no dia 1º de dezembro, no Bourbon Street em São Paulo, com apresentação das house bands das filiais de São Caetano e Anália Franco, além da banda Traveling Blues como atração principal da noite e Gui Cicarelli como host e participação especial.

MERCADO

Streaming impulsiona indústria musical nos EUA, que atinge US$ 11 bilhões em 2019 

RIAA também observa aumento de 29% no número de assinantes em plataformas digitais

Published

on

Streaming impulsiona indústria musical nos EUA, que atinge US$ 11 bilhões em 2019 
Divulgação

Os novos dados da RIAA (Recording Industry Association of America) com base em 2019, mostram uma importante crescente na adesão aos serviços de streaming. Eles foram responsáveis por 79% de tudo o que a indústria musical norte-americana arrecadou em 2019, totalizando uma receita de US$ 11,1 bilhões, um aumento de 13% em relação a 2018, quando os relatórios da instituição resultavam em US$ 9,8 bilhões.

Esses números representam a consolidação do streaming como fator determinante na arrecadação do mercado nos EUA, pois é o quarto ano consecutivo de crescimento de dois dígitos para o setor e uma taxa de crescimento mais rápida em relação a 2018, quando o aumento foi de 11,9% em relação ao ano anterior.

Streaming impulsiona indústria musical nos EUA, que atinge US$ 11 bilhões em 2019 

Os ganhos contínuos em streaming cresceram 19,9% em 2019 resultando em uma receita de US$ 8,8 bilhões. Para se ter uma ideia, em 2018, a receita computada resultou em US$ 7,4 bilhões. O resultado atual significa que, as receitas de streaming são responsáveis por 79,5% de toda a indústria norte-americana. Em resumo: esta é a primeira vez que o streaming ultrapassou 3/4 de toda a receita do negócio.

“Esses tipos de serviços transmitiram mais de 500 bilhões de músicas para mais de 100 milhões de ouvintes nos Estados Unidos, mas contribuíram com apenas 8% para a receita total de música no ano”, observa a RIAA.

 

 

E por falar em streaming, a RIAA identificou que as assinaturas pagas representaram US$ 6,8 bilhões, o que significa um aumento de 25% em relação a 2018 e 61% da receita total. É uma marca de grande relevância no negócio, observando que este montante financeiro é maior do que o total gerado com música gravada nos EUA nos anos de 2014 e 2015 – períodos em que se atingiu US$ 6,7 bilhões.

Assinaturas como as da Amazon Prime e Pandora Plus, que não oferecem acesso ilimitado sob demanda de catálogo completo, representaram US$ 829 milhões do total em 2019.

Os anúncios em plataformas de streaming têm sido um bom negócio para essas empresas, pois o relatório da RIAA identificou um importante aumento de 20% em relação a 2018. Contudo, esse up representou apenas US$ 908 milhões em receita.

“Esses tipos de serviços transmitiram mais de 500 bilhões de músicas para mais de 100 milhões de ouvintes nos Estados Unidos, mas contribuíram com apenas 8% para a receita total de música no ano”, observa o relatório da RIAA.

Quedas nas receitas de download digital e CD e aumento no formato vinil

Se o negócio do streaming “vai indo muito bem, obrigado”, já não é mais o caso do download digital, por exemplo. Este modelo de negócio enfrenta sua primeira grande baixa, pois desde 2006, sua receita ficou abaixo de US$ 1 bilhão, uma queda de 18%, resultando em US$ 856 milhões. Os downloads de álbuns também caíram em 21%.

Resumo da ópera: de toda a receita da indústria musical norte-americana, esses formatos, download de faixas e download de álbuns, representam apenas 3,6% e 3,7% do negócio, respectivamente. A venda de CD’s continua em queda se comparada aos relatórios de 2018: 12%, um total de 52 milhões de cópias vendidas, representando 5,5% da receita total. Já o formato vinil, registra seu retorno triunfante, com um aumento de 19% em sua receita, gerando US$ 504 milhõesa maior receita do formato desde 1988.

Continue Reading

MERCADO

Spotify Awards: Universal Music tem 56 indicações ao prêmio 

Os vencedores serão anunciados em uma cerimônia que acontecerá na Cidade do México no dia 5 de março

Published

on

Spotify Awards: Universal Music tem 56 indicações ao prêmio 
Divulgação

O Spotify acaba de anunciar os finalistas da primeira premiação promovida por eles. Com um formato inovador, o Spotify Awards reconhecerá os vencedores de cada uma das mais de 50 categorias, com base em dados gerados pelos usuários da plataforma, tendo como referência os números produzidos pelos usuários do México.

Spotify Awards: Universal Music tem 56 indicações ao prêmio 

No próximo dia 5 de março, os vencedores serão anunciados em uma cerimônia que acontecerá na Cidade do México. O evento será transmitido online por meio das redes sociais da emissora de TV mexicana Telemundo, que fará a cobertura do evento desde o tapete verde, que faz alusão à cor da marca.

Dentre os indicados, destacam-se os artistas do cast da Universal Music, que somaram 56 indicações ao prêmio. O cantor latino J Balvin chegará à festa com 10 indicações, incluindo as principais categorias, como Artista Spotify do Ano, Artista Mais Escutado e Artista Mais Adicionado a Playlists. Logo atrás dele está Daddy Yankee, cujo nome aparece nove vezes na lista. Além de concorrer com Balvin em categorias como Artista do Ano, Artista Mais Escutado e Artista Mais Compartilhado, Yankee também é finalista ao prêmio de Canção Mais Escutada, além de outras categorias.

A colombiana Karol G concorre em seis categorias no Spotify Awards, incluindo a de Artista Mais Escutada, Artista de Pop Urbano Mais Escutada, Canção Para Segundas-Feiras, pela faixa Tusa. Nas categorias que analisam as preferências com base na faixa etária do público, Karol G está entre as preferidas entre todas as idades.

Billie Eilish recebeu quatro indicações ao prêmio. Além de ser a preferida do público mais jovem (entre 13-17 e 18-29 anos), a norte-americana concorre aos títulos de Artista Mais Escutada e Artista Mais Escutada em Consoles.

Ariana Grande e Glória Trevi receberam três nomeações cada. Assim como Billie Eilish, Ariana mostrou ser mais popular entre os mais jovens, concorrendo a artista mais escutada entre o público de 13-17 e de 18-29, além de estar indicada a Artista Mais Escutada. Já Glória Trevi faz mais sucesso entre o público com idade mais avançada. Ela concorre à preferida pelos usuários entre 39-44 anos e também pelos que têm mais de 45. A mexicana também é finalista na categoria Artista Pop Mais Escutada.

O rapper Post Malone teve duas de suas músicas indicadas ao Spotify Awards na categoria Canção Mais Escutada do Dia do Grito de Independência, as faixas Circles e Saint-Tropez. A cantora Danna Paola, que está entre os nomes que apresentarão a cerimônia, concorre ao prêmio de Artista Feminina Com Maior Crescimento em Número de Fãs. Além dela, o grupo mexicano Café Tacvba e o cantor Ed Maverick disputam na categoria Artista de Rock em Espanhol Mais Escutado. O porto-riquenho Guaynaa foi indicado a Artista Masculino Com Maior Crescimento em Número de Fãs e a cantora Clairo concorre ao título de Artista Mais Escutada em Consoles.

O rapper iann dior concorre a Artista Radar de Trap em Espanhol, DJ Snake e Martin Garrix a Artista de EDM Mais Escutado, Ellie Goulding também está entre os finalistas a Artista de EDM Mais Escutada, Alejandro Sanz e Morat concorrem a Artista Pop Mais Escutado, Mon Laferte está na disputa pelo prêmio de Artista Pop Mais Escutada, Sebastián Yatra pode voltar para casa levando como Artista de Pop Urbano Mais Escutado, enquanto a Imagine Dragons está no páreo para levar o prêmio de Banda de Rock Contemporâneo Mais Escutada.

Lady Gaga disputa na categoria Artista Mais Adicionado a Playlists de Temática LGBTQ+, Shawn Mendes também concorre a Canção Para Segundas-Feiras, pela faixa In My Blood.

Continue Reading

MERCADO

Boogie Naipe anuncia novo selo Labbel Records com foco em trap 

Nova marca nasce investindo nos talentos do estilo e profissionalizando o segmento musical em forte expansão

Published

on

Boogie Naipe anuncia novo selo Labbel Records com foco em trap 
Divulgação

Labbel Records é o novo selo voltado ao rap, que tem como intuito mapear e direcionar a carreira de novos talentos da música, funcionando como uma gestora e aceleradora de artistas, profissionalizando o setor e contribuindo para o crescimento do segmento. As informações são da ONErpm.

Boogie Naipe anuncia novo selo Labbel Records com foco em trap 

Segundo Kaire Jorge, sócio da Boogie Naipe, “A Labbel nasceu dentro da produtora e surgiu da necessidade de ser uma nova forma de comunicação da empresa com esse novo público. Saber falar e atender o consumidor jovem é um dos nossos objetivos com a Labbel. Muitos curtem Racionais, mas também consomem muito o trap e a estética de roupa, comportamento, música que o gênero agrega. Mesmo que sejam parecidos e até se cruzem, são grupos de pessoas diferentes e entender isso é muito importante, pois o trap é uma das vertentes do rap”, disse.

Yunk Vino é o primeiro artista contratado pela Labbel e que já soma cerca de 118 mil ouvintes mensais no Spotify e mais de 4 milhões de visualizações em seu canal do YouTube.

Continue Reading

As Mais Lidas