Connect with us
Scorpions: três álbuns dos anos 1990 serão relançados em vinil Scorpions: três álbuns dos anos 1990 serão relançados em vinil

Mundo Vinil

Scorpions: três álbuns dos anos 1990 serão relançados em vinil

Published

on

Uma das maiores bandas de hard rock do mundo, o Scorpions anunciou o relançamento de três álbuns em vinil no dia 25 de outubro: Crazy World, Face The Heat (em LP duplo e um EP bônus) e Live Bites (LP duplo), todos em 180 gramas pela Universal Music via Island Records.

Scorpions: três álbuns dos anos 1990 serão relançados em vinil

Rudolf Schenker, guitarrista e fundador do Scorpions, disse em uma entrevista à Louder que Crazy World de 1990 é um dos seus 10 melhores álbuns favoritos do Scorpions. Neste trabalho foi revelado o megahit Wind Of Change. Naquela época, o Scorpions contava em sua formação com Herman Rarebell (bateria) e Francis Buchholz (baixo).

Face The Heat, lançado como LP duplo originalmente em 1993, ganha um EP bônus em sua reedição de 2019. Uma de suas faixas de destaque é Under The Same Sun, que conta com os vocais de Bruce Fairbairn que também colaborou na produção do disco.

Lançado originalmente em 1995, Live Bites foi gravado entre 1988 e 1994 e captura performances ao vivo em Leningrado, San Francisco, Cidade do México, Berlim e Munique.

Os Scorpions já venderam mais de 100 milhões de álbuns em todo o mundo e é a banda de hard rock mais bem sucedida da Alemanha e Europa Continental. São 54 anos de atividade com várias turnês mundiais, performance icônicas e discos de multi-platina.

Crazy World, que custa £16,99 (cerca de R$ 84) Live Bites e Face The Heat (cada um custa £21,99, cerca de R$ 109) já se encontram em pré-venda no site oficial do produto.

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.

Mundo Vinil

ABBA: single “Happy New Year” é relançado em vinil transparente de edição limitada

Published

on

ABBA: single "Happy New Year" é relançado em vinil transparente de edição limitada
Divulgação

O single Happy New Year do ABBA será relançado como uma edição de colecionador em um vinil transparente de 7 polegadas no dia 6 de dezembro pela Universal Music via Polar Music para o mercado internacional. Apenas 4 mil cópias serão disponibilizadas.

 ABBA: single "Happy New Year" é relançado em vinil transparente de edição limitada

Happy New Year contará com um trabalho artístico exclusivo e é uma sequência do lançamento de 2018, quando a gravadora também disponibilizou uma edição limitada a 3 mil cópias, que esgotou rapidamente. Agora, o lado B desta edição contará com o single Felicidad.

Esta canção foi lançada em fevereiro de 1980 como single apenas em alguns países como Holanda, Brasil e Portugal.

O disco já se encontra em pré-venda no site oficial do produto pelo preço de £12.99 (cerca de R$ 69).

Continue Reading

Mundo Vinil

Charlie Brown Jr.: “Bocas Ordinárias” chega ás lojas em vinil

Universal Music relança em comemoração aos 17 anos do álbum

Published

on

Charlie Brown Jr.: "Bocas Ordinárias" chega ás lojas em vinil

Bocas Ordinárias, considerado por muitos como um dos melhores discos do grupo Charlie Brown Jr., foi lançado em 2002. Liderados pelo paulistano Chorão, os garotos da cidade de Santos eram a personificação de uma tribo sem muita grana que curtia as pistas de skate e a praia. Embaladas por uma fusão de punk rock californiano, hip-hop e reggae, as letras enfurecidas e desbocadas miravam as desigualdades sociais, conquistando corações e mentes das periferias brasileiras.

Quinto álbum da banda, Bocas Ordinárias apresentava uma pegada bem mais roqueira e azeitada que os discos anteriores, com destaque para a criatividade de Marcão nas guitarras, Champignon (baixo) e Pelado (bateria) completavam o quarteto; Thiago Castanho deixara a banda no ano anterior. Juntos, eles assinaram todas as faixas, com exceção de Baader-Meinhof Blues, da Legião Urbana, que ganhou uma acelerada, pulsante e competente regravação.

Charlie Brown Jr.: "Bocas Ordinárias" chega ás lojas em vinil

Toda a vitalidade das incendiárias apresentações ao vivo do Charlie Brown Jr. foram impressas neste registro de estúdio produzido por Tadeu Patolla, que já havia trabalhado com a banda em Preço curto… Prazo longo, disco de 1999.

Primeiro single do álbum, Papo Reto (Prazer é sexo, o resto é negócio) dominou as paradas de sucesso com seu refrão chiclete (“Então já era, eu vou fazer de um jeito que ela não vai esquecer”) e a costumeira contundência (“Mas eu quero que se foda essa porra de sociedade”). O desajuste social também aparece no segundo hit, Só por uma noite, que ganhou um divertido videoclipe no qual o titã Paulo Miklos encarna um exigente e mal-humorado diretor tentando enquadrar os rapazes que, embora elegantemente vestidos, têm pensamentos bem mundanos.

Essa crueza persiste na faixa de onde foi retirado o nome do disco, Bocas ordinárias, guerrilha, batizada com uma expressão cunhada por um crítico de Portugal, após uma apresentação da banda naquele país.

“Se for fazer uma coisa então faça com vontade/ Seja você, não fure os olhos da verdade”, ensina Chorão em Não fure os olhos da verdade. O “papo reto” continua em “Sou quem eu sou (O que é seu também é meu e o que é meu não é nosso)”.

O som de uma lata de refrigerante sendo aberta nos primeiros instantes de Com a boca amargando não adoça o discurso do cantor, que fora duramente criticado por participar de uma campanha publicitária da Coca-Cola: “Eu não tenho explicações a fazer/ Quem sabe de mim sou eu/ Quem sabe de você é você”. Na última faixa, “Tarja preta”, Chorão avisava: “Charlie Brown Jr. não deve ser consumido por pessoas simpáticas”.

Independentemente de possíveis contrariedades ou antipatias, o álbum vendeu cerca de 500 mil cópias na época, rendendo um Disco de Ouro à banda.

Dedicado a Cássia Eller, outra voz inquieta que cativou a juventude brasileira, Bocas Ordinárias está de volta no inédito formato de vinil.

Confira o conteúdo completo:

Lado A

Papo reto (Prazer é sexo, o resto é negócio)
Hoje eu só procuro a minha paz
Baader- Meinhof Blues
Só por uma noite
My Mini Ramp
Bocas ordinárias, guerrilha

Lado B

Não fure os olhos da verdade
Sou quem eu sou (O que é seu também é meu e o que é meu não é nosso)
Com minha loucura faço o meu dinheiro, com meu dinheiro faço minhas loucuras
Somos poucos mas somos loucos
Com a boca amargando
Tarja preta

Continue Reading

Mundo Vinil

Polysom anuncia relançamento em vinil de “O Filho de José Maria”, clássico de Odair José

Álbum foi lançado originalmente em 1977

Published

on

Polysom anuncia relançamento em vinil de "O Filho de José Maria", clássico de Odair José
Divulgação

Um dos maiores nomes da música nacional, Odair José causou furor ao lançar, em 1977, O Filho de José e Maria. Vanguardista e ousado, o álbum também se consagrou pelo habilidoso time de instrumentistas participante. Agora, a obra retorna às lojas em LP de 180 gramas pela coleção Clássicos em Vinil — uma parceria da Polysom com a Sony Music.

Ao longo de suas dez faixas, o disco conceitual narra a história de um homem que, aos 33 anos, descobre suas reais paixões e aptidões na vida. Além de referências à vida de Cristo, as letras também trazem críticas à homofobia e à hipocrisia do moralismo.

Polysom anuncia relançamento em vinil de "O Filho de José Maria", clássico de Odair José

O instrumental da ópera rock é executado por músicos como Hyldon (guitarra), Robson Jorge (Piano e Fender Rhodes) e o consagrado trio Azymuth Ivan Conti “Mamão” (bateria), Alexandre Malheiros (baixo) e José Roberto Bertrami (órgão, clarinete e sintetizador ARP String Ensemble).

Jaime Alem, que viria a se tornar diretor musical de Maria Bethânia, também completa a lista de guitarristas do repertório. A direção artística ficou por conta de Durval Ferreira e a direção de estúdio foi responsabilidade de Guilherme Araújo.

A reedição de O Filho de José e Maria chega às lojas em novembro.

Continue Reading

As Mais Lidas