LANÇAMENTOS

Sepultura: “Machine Messiah” será lançado em janeiro

By  | 

A banda Sepultura anunciou o lançamento de seu mais novo álbum Machine Messiah pela Sony Music para o dia 13 de janeiro. O novo trabalho foi produzido em parceria com Jens Borgen na Suécia e a capa do disco foi produzida pela artista filipina Camille Della Rosa.

Os músicos já haviam divulgado no YouTube um vídeo com algumas informações sobre o novo álbum. O guitarrista Andreas Kisser ficou empolgado com o trabalho gráfico de Machine Messiah e explicou, em comunicado, o significado ao redor da arte do disco:

“Eu descobri o trabalho de Camille Della Rosa ao longo de pesquisas que estava fazendo para verificar artistas alternativos para trabalhar na capa do nosso novo álbum. Eu já tinha o conceito na minha mente e o nome do álbum, mas isso não significava muito, pois estava em busca de diferentes estilos e ideias, diferentes artistas. Ao ver os quadros dela fiquei realmente impressionado com seu estilo, cheio de cores e significados, muito originais e vivos”

Sobre o trabalho de Camille

“A pintura ‘Deus Ex-Machina’ é uma obra-prima. Fiquei realmente chocado como a ideia da pintura dela estava realmente alinhada com a nossa ideia. A capa foi feita há seis anos para o nosso novo álbum e ela não sabia disso. Nem eu, mas estou feliz que nossos caminhos se cruzaram. A obra de Camille é intensa. Temos a sorte de ter uma grande artista trabalhando com a gente, ela é gentil e muito talentosa, traz algo novo e excitante para uma carreira de 32 anos durante a qual artistas incríveis criaram capas de álbuns memoráveis”, explicou.

Kisser também falou sobre a aproximação da banda com o país da artista: “Ela vem das Filipinas, local onde nos apresentamos há alguns anos e tivemos a oportunidade de sentir a intensidade da cultura local, muito poderosa. Ela tem esse poder em suas pinturas e desenhos”, disse.

O guitarrista também disse sobre a inspiração para as composições de Machine Messiah e que elas vão de encontro com o atual conceito de sociedade: “A principal inspiração do álbum vem da robotização da nossa sociedade atualmente. O conceito de que uma Máquina de Deus criou a humanidade e agora parece que este ciclo está se encerrando, retornando ao ponto de partida. Nós viemos das máquinas e estamos voltando para onde viemos. O ‘Messiah’, quando ele retornar, será um robô, ou um humanóide, nosso salvador biomecânico”, concluiu.

Confira o repertório de Machine Messiah:

1. Machine Messiah
2. I Am The Enemy
3. Phantom Self
4. Alethea
5. Iceberg Dances
6. Sworn Oath
7. Resistant Parasites
8. Silent Violence
9. Vandals Nest
10. Cyber God

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.