Connect with us
Spotify lança podcast com produções originais Spotify lança podcast com produções originais

MERCADO

Spotify lança podcast com produções originais

Café da Manhã e Não Ouvo são renovados para mais uma temporada

Divulgação

Published

on

O Spotify anunciou nesta quinta-feira (28) o novo Spotify Originals, podcast com conteudo da plataforma, que contará com três shows: Café da Manhã, Não Ouvo e Novo Normal.

O Café da Manhã , podcast diário de notícias em parceria com a Folha de S. Paulo, estará novamente nos ouvidos dos milhões de usuários do Spotify em 2020. Prestes a completar seu primeiro aniversário, o Café da Manhã se tornou o segundo maior podcast do Brasil, com uma audiência formada de 77% por ouvintes com menos de 34 anos.

Rodrigo Vizeu e Magê Flores seguem na apresentação da nova temporada do Café.

Spotify lança podcast com produções originais

O Spotify Originals terá também mais uma temporada dos cinco podcasts do Não Ouvo, a família de podcasts do proletariado brasileiro, que é comandada por Maurício Cid e sua galera, contando histórias engraçadas, teorias malucas e as conversas mais bizarras da Internet com um programa diferente por dia (às segundas-feiras com Xêpa!, às terças-feiras com Inferno Astral, às quartas-feiras com Bicuda, às quintas-feiras com Não Ouvo, e às sextas-feiras com Se Eu Fosse Você).

E para se juntar à família Spotify Originals, o Spotify anuncia mais um novo show: Novo Normal. É o mais novo desafio de Antonia Pellegrino e Manoela Miklos, editoras da plataforma #AgoraÉQueSãoElas também publicado na Folha, que se uniram ao Spotify numa produção original para criar um espaço de conversa entre pessoas que pensam diferente.

Toda semana elas vão trazer mulheres em pontos distintos do espectro político para falar de temas quentes no Brasil e no mundo. Se o debate está tóxico, a proposta do Novo Normal é seguir na contramão, e abrir diálogos.

“Temos o prazer de anunciar essas novidades e novos integrantes da nossa família de Spotify Originals. Mais uma vez mostramos que estamos no caminho certo para nos tornarmos a maior plataforma de áudio do mundo, com conteúdos próprios, relevantes e de qualidade. Estamos orgulhosos em anunciar mais conteúdos exclusivos e originais para o Brasil, que é um país onde o consumo de podcast aumenta a cada ano”, diz Javier Piñol, diretor do Spotify Studios na América Latina.

O Novo Normal se junta ao Prepare Seu Coração , Jogo de Damas , Kpapo , Oêa Copa do Mundo Feminina, Prato Frio e, claro, Café da Manhã e Não Ouvo como produções Spotify Originals no Brasil.

MERCADO

Streaming impulsiona indústria musical nos EUA, que atinge US$ 11 bilhões em 2019 

RIAA também observa aumento de 29% no número de assinantes em plataformas digitais

Published

on

Streaming impulsiona indústria musical nos EUA, que atinge US$ 11 bilhões em 2019 
Divulgação

Os novos dados da RIAA (Recording Industry Association of America) com base em 2019, mostram uma importante crescente na adesão aos serviços de streaming. Eles foram responsáveis por 79% de tudo o que a indústria musical norte-americana arrecadou em 2019, totalizando uma receita de US$ 11,1 bilhões, um aumento de 13% em relação a 2018, quando os relatórios da instituição resultavam em US$ 9,8 bilhões.

Esses números representam a consolidação do streaming como fator determinante na arrecadação do mercado nos EUA, pois é o quarto ano consecutivo de crescimento de dois dígitos para o setor e uma taxa de crescimento mais rápida em relação a 2018, quando o aumento foi de 11,9% em relação ao ano anterior.

Streaming impulsiona indústria musical nos EUA, que atinge US$ 11 bilhões em 2019 

Os ganhos contínuos em streaming cresceram 19,9% em 2019 resultando em uma receita de US$ 8,8 bilhões. Para se ter uma ideia, em 2018, a receita computada resultou em US$ 7,4 bilhões. O resultado atual significa que, as receitas de streaming são responsáveis por 79,5% de toda a indústria norte-americana. Em resumo: esta é a primeira vez que o streaming ultrapassou 3/4 de toda a receita do negócio.

“Esses tipos de serviços transmitiram mais de 500 bilhões de músicas para mais de 100 milhões de ouvintes nos Estados Unidos, mas contribuíram com apenas 8% para a receita total de música no ano”, observa a RIAA.

 

 

E por falar em streaming, a RIAA identificou que as assinaturas pagas representaram US$ 6,8 bilhões, o que significa um aumento de 25% em relação a 2018 e 61% da receita total. É uma marca de grande relevância no negócio, observando que este montante financeiro é maior do que o total gerado com música gravada nos EUA nos anos de 2014 e 2015 – períodos em que se atingiu US$ 6,7 bilhões.

Assinaturas como as da Amazon Prime e Pandora Plus, que não oferecem acesso ilimitado sob demanda de catálogo completo, representaram US$ 829 milhões do total em 2019.

Os anúncios em plataformas de streaming têm sido um bom negócio para essas empresas, pois o relatório da RIAA identificou um importante aumento de 20% em relação a 2018. Contudo, esse up representou apenas US$ 908 milhões em receita.

“Esses tipos de serviços transmitiram mais de 500 bilhões de músicas para mais de 100 milhões de ouvintes nos Estados Unidos, mas contribuíram com apenas 8% para a receita total de música no ano”, observa o relatório da RIAA.

Quedas nas receitas de download digital e CD e aumento no formato vinil

Se o negócio do streaming “vai indo muito bem, obrigado”, já não é mais o caso do download digital, por exemplo. Este modelo de negócio enfrenta sua primeira grande baixa, pois desde 2006, sua receita ficou abaixo de US$ 1 bilhão, uma queda de 18%, resultando em US$ 856 milhões. Os downloads de álbuns também caíram em 21%.

Resumo da ópera: de toda a receita da indústria musical norte-americana, esses formatos, download de faixas e download de álbuns, representam apenas 3,6% e 3,7% do negócio, respectivamente. A venda de CD’s continua em queda se comparada aos relatórios de 2018: 12%, um total de 52 milhões de cópias vendidas, representando 5,5% da receita total. Já o formato vinil, registra seu retorno triunfante, com um aumento de 19% em sua receita, gerando US$ 504 milhõesa maior receita do formato desde 1988.

Continue Reading

MERCADO

Spotify Awards: Universal Music tem 56 indicações ao prêmio 

Os vencedores serão anunciados em uma cerimônia que acontecerá na Cidade do México no dia 5 de março

Published

on

Spotify Awards: Universal Music tem 56 indicações ao prêmio 
Divulgação

O Spotify acaba de anunciar os finalistas da primeira premiação promovida por eles. Com um formato inovador, o Spotify Awards reconhecerá os vencedores de cada uma das mais de 50 categorias, com base em dados gerados pelos usuários da plataforma, tendo como referência os números produzidos pelos usuários do México.

Spotify Awards: Universal Music tem 56 indicações ao prêmio 

No próximo dia 5 de março, os vencedores serão anunciados em uma cerimônia que acontecerá na Cidade do México. O evento será transmitido online por meio das redes sociais da emissora de TV mexicana Telemundo, que fará a cobertura do evento desde o tapete verde, que faz alusão à cor da marca.

Dentre os indicados, destacam-se os artistas do cast da Universal Music, que somaram 56 indicações ao prêmio. O cantor latino J Balvin chegará à festa com 10 indicações, incluindo as principais categorias, como Artista Spotify do Ano, Artista Mais Escutado e Artista Mais Adicionado a Playlists. Logo atrás dele está Daddy Yankee, cujo nome aparece nove vezes na lista. Além de concorrer com Balvin em categorias como Artista do Ano, Artista Mais Escutado e Artista Mais Compartilhado, Yankee também é finalista ao prêmio de Canção Mais Escutada, além de outras categorias.

A colombiana Karol G concorre em seis categorias no Spotify Awards, incluindo a de Artista Mais Escutada, Artista de Pop Urbano Mais Escutada, Canção Para Segundas-Feiras, pela faixa Tusa. Nas categorias que analisam as preferências com base na faixa etária do público, Karol G está entre as preferidas entre todas as idades.

Billie Eilish recebeu quatro indicações ao prêmio. Além de ser a preferida do público mais jovem (entre 13-17 e 18-29 anos), a norte-americana concorre aos títulos de Artista Mais Escutada e Artista Mais Escutada em Consoles.

Ariana Grande e Glória Trevi receberam três nomeações cada. Assim como Billie Eilish, Ariana mostrou ser mais popular entre os mais jovens, concorrendo a artista mais escutada entre o público de 13-17 e de 18-29, além de estar indicada a Artista Mais Escutada. Já Glória Trevi faz mais sucesso entre o público com idade mais avançada. Ela concorre à preferida pelos usuários entre 39-44 anos e também pelos que têm mais de 45. A mexicana também é finalista na categoria Artista Pop Mais Escutada.

O rapper Post Malone teve duas de suas músicas indicadas ao Spotify Awards na categoria Canção Mais Escutada do Dia do Grito de Independência, as faixas Circles e Saint-Tropez. A cantora Danna Paola, que está entre os nomes que apresentarão a cerimônia, concorre ao prêmio de Artista Feminina Com Maior Crescimento em Número de Fãs. Além dela, o grupo mexicano Café Tacvba e o cantor Ed Maverick disputam na categoria Artista de Rock em Espanhol Mais Escutado. O porto-riquenho Guaynaa foi indicado a Artista Masculino Com Maior Crescimento em Número de Fãs e a cantora Clairo concorre ao título de Artista Mais Escutada em Consoles.

O rapper iann dior concorre a Artista Radar de Trap em Espanhol, DJ Snake e Martin Garrix a Artista de EDM Mais Escutado, Ellie Goulding também está entre os finalistas a Artista de EDM Mais Escutada, Alejandro Sanz e Morat concorrem a Artista Pop Mais Escutado, Mon Laferte está na disputa pelo prêmio de Artista Pop Mais Escutada, Sebastián Yatra pode voltar para casa levando como Artista de Pop Urbano Mais Escutado, enquanto a Imagine Dragons está no páreo para levar o prêmio de Banda de Rock Contemporâneo Mais Escutada.

Lady Gaga disputa na categoria Artista Mais Adicionado a Playlists de Temática LGBTQ+, Shawn Mendes também concorre a Canção Para Segundas-Feiras, pela faixa In My Blood.

Continue Reading

MERCADO

Boogie Naipe anuncia novo selo Labbel Records com foco em trap 

Nova marca nasce investindo nos talentos do estilo e profissionalizando o segmento musical em forte expansão

Published

on

Boogie Naipe anuncia novo selo Labbel Records com foco em trap 
Divulgação

Labbel Records é o novo selo voltado ao rap, que tem como intuito mapear e direcionar a carreira de novos talentos da música, funcionando como uma gestora e aceleradora de artistas, profissionalizando o setor e contribuindo para o crescimento do segmento. As informações são da ONErpm.

Boogie Naipe anuncia novo selo Labbel Records com foco em trap 

Segundo Kaire Jorge, sócio da Boogie Naipe, “A Labbel nasceu dentro da produtora e surgiu da necessidade de ser uma nova forma de comunicação da empresa com esse novo público. Saber falar e atender o consumidor jovem é um dos nossos objetivos com a Labbel. Muitos curtem Racionais, mas também consomem muito o trap e a estética de roupa, comportamento, música que o gênero agrega. Mesmo que sejam parecidos e até se cruzem, são grupos de pessoas diferentes e entender isso é muito importante, pois o trap é uma das vertentes do rap”, disse.

Yunk Vino é o primeiro artista contratado pela Labbel e que já soma cerca de 118 mil ouvintes mensais no Spotify e mais de 4 milhões de visualizações em seu canal do YouTube.

Continue Reading

As Mais Lidas