Connect with us
Tiê celebra dez anos de carreira com o DVD ao vivo "DiX" Tiê celebra dez anos de carreira com o DVD ao vivo "DiX"

MPB & SAMBA

Tiê celebra dez anos de carreira com o DVD ao vivo “DiX”

Divulgação

Published

on

No ano de comemoração dos 10 anos de carreira, a cantora Tiê lança, nesta sexta-feira (6), o primeiro álbum e DVD ao vivo, gravados no YouTube Space, no Rio de Janeiro, em junho passado.

DiX, que significa dez em francês, chega a todas as plataformas digitais e nas lojas físicas de todo o país pela Warner Music com 17 faixas, entre elas, releituras, sucessos e inéditas.

Com participação de Cynthia Luz e Rael, o projeto conta com produção de Paul Ralphes, direção de Clara Cavour, arte de Rita Wainer, cenário de Nina Becker, figurino de Carol Roquuete e beleza de Brenno Melo.

“Tem um olhar de maturidade diferente nesse trabalho. Estou mais leve, porém ainda muito intensa. O dez representa a ausência e a completude ao mesmo tempo. Ou seja, a falta de um repertório só de inéditas, como estou acostumada a lançar, mas, a totalidade de revisitar o caminho até aqui”, reflete Tiê sobre o novo trabalho.

Entre as novidades no setlist, a cantora traz Não Sei, uma parceria com o convidado especial Rael. Já Com Cynthia Luz, Tiê revisitou o sucesso Vou Atrás, do projeto Esmeraldas, lançado em 2014.

Para retratar a trajetória da cantora no DVD, Rita Wainer criou a identidade visual dentro do conceito de arco-íris. Parceira desde o início da carreira de Tiê, Rita é responsável pelas artes dos quatro álbuns anteriores da cantora: “Trabalhar com a Tiê é tão fácil, sempre foi. Esse projeto foi muito especial. Lembrei de tudo e chorei de orgulho dela. Foi lindo e ainda é começo”, conta Rita. “A criação é tão orgânica, tão junto com ela que nem sei descrever. Não sei onde começa e quem teve qual ideia”, diz.

Com equipe de maioria feminina, a diretora Clara Cavour conta que a presença da cenógrafa Nina Becker foi uma escolha estratégica também. “A Nina trabalha como diretora de arte, mas também é cantora. Isso foi muito bom porque ela conhece o lado de lá, sabe como é estar no palco”, explica ela. “O DVD nasceu desse encontro de mulheres. Acredito que isso ficou impresso no trabalho, esse olhar cuidadoso e essa troca generosa. Com certeza o público vai gostar e se surpreender”, complementa a diretora.

Ao longo de uma década, Tiê lançou quatro projetos (Sweet Jardim, A Coruja e o Coração, Esmeraldas e Gaya), com canções autobiográficas, todos foram registrados em estúdios. DiX é a estreia de gravações ao vivo da cantora, que teve três semanas de ensaios com a banda.

“Eu adoro fazer show. Gosto muito de olhar e conversar com a plateia. E sinto que canto com mais potência e densidade. Estou muito feliz, confiante e grata com esse novo momento de lançar o primeiro ao vivo”, celebra Tiê.

Confira a tracklist completa de DiX:

1. Minino Maravilho
2. Mexeu comigo
3. Botas
4. Assinado Eu
5. Piscar O Olho
6. Sem Tempo
7. Torrada e Café
8. Vou atrás
9. Chá Verde
10. Deixa Queimar
11. Depois de um dia de sonho
12. Não sei
13. Quem sabe de Mim Sou eu
14. Te valorize
15. Amuleto
16. A noite
17. Para Alegrar seu dia

MPB & SAMBA

Paula Santisteban estreia clipe “Enquanto Não Passar”

Published

on

Paula Santisteban estreia clipe "Enquanto Não Passar"
Divulgação

Enquanto Não Passar é o primeiro clipe do álbum de estreia de Paula Santisteban. Lançado de forma independente com distribuição da Warner Music Brasil, no final de 2018, o projeto foi o último produzido por Carlos Eduardo Miranda (1962 – 2018). Um álbum intimista, com a sonoridade das gravações dos anos 1960, o conceito do clipe segue a mesma ideia.

“Quando começamos a falar sobre as imagens que traduziriam as músicas, Miranda me mostrou vários vídeos, um deles era com a Brigitte Bardot cantando em um barco, em Paris”, explica Paula Santisteban. “Neste vídeo, “C’est Um Jour Comme Um Autre”, ela está vestida com uma roupa bem sóbria, cantando praticamente estática em um barco em movimento. O Miranda trouxe essa ideia de que eu cantasse praticamente parada sempre com um fundo em movimento, mostrando essa resistência e também um conceito de desaceleração. Adorei a referência, as cores, tudo. Quando voltamos a pensar nos clipes resolvi chamar a Helena Wolfenson, pelo fato dela ser fotógrafa e escolhemos um parque de diversões na Zona Leste como principal locação”, conta.

O roteiro é de Edu Resing que também dividiu a direção com Helena e posteriormente montou o clipe. Alex Lopes fez a cor, com nuances muito leves e delicadas.

Confira o clipe:

Continue Reading

MPB & SAMBA

Bossacucanova e Roberto Menescal lançam “Bossa Got The Blues”

Published

on

Bossacucanova e Roberto Menescal lançam "Bossa Got The Blues"
Marcos Hermes

Quando surgiu, há pouco mais de duas décadas, o Bossacucanova causou furor e interesse ao apresentar uma criativa e original mistura de elementos da música eletrônica e da bossa nova. Desde então, o trio formado por Alex Moreira, Marcio Menescal e o DJ Marcelinho da Lua lançou seis álbuns e atraiu a atenção do público e dos críticos. O reconhecimento internacional também veio, e, além dos CDs terem sidos lançados no Japão e na Europa com uma turnê que percorreu ambos os lugares, a banda foi indicada ao Grammy Latino em 2002, por conta do álbum Brasilidade (2001). Na ocasião, o Bossacucanova havia contado com a colaboração de Roberto Menescal, que participou inteiramente das composições e repete a dose no novo álbum que lança junto ao grupo.

Desse modo, chega aos aplicativos de música, pela gravadora Deck, o disco Bossa Got The Blues: “Primeiramente a gente quis criar algo menos rock e bossa e mais blues. Fazendo jus ao título, o blues roubou um pouco da bossa. A criatividade, também, do que o Bossacucanova criou na parte rítmica é que me levou a compor dessa maneira, fazendo coisas bem diferentes do que faço normalmente”, explicou Roberto Menescal, sobre a gênese do trabalho.

Bossacucanova e Roberto Menescal lançam "Bossa Got The Blues"

Gravado ao longo de 2018 em diferentes estúdios do Rio de Janeiro, o álbum foi inteiramente composto por Menescal, seu filho Marcio, Alex e Marcelinho; a única exceção dentre as 10 faixas ficou por conta de Blues Bossa (Roberto Menescal/J.C Costa Netto). O trio ainda cuidou de toda parte de direção artística, produção, gravação e programação do álbum. Todas as faixas também foram mixadas pelo Bossacucanova no estúdio Mola, com exceção de 1937.

Abertura do álbum e mixada pelo premiado produtor Moogie Canazio, essa música foi escolhida para ser o primeiro single do registro, e conta com um videoclipe disponível no YouTube.

Seu título, inclusive, faz referência ao ano de nascimento de Roberto Menescal, que, em mais de 80 anos de vida e seis décadas de carreira, consolidou-se como uma das eminências da bossa nova e ajudou a fazer a ponte entre o gênero e as novidades tecnológicas dos beats e samples. Polivalente, Menescal ainda se responsabilizou por todas as trilhas de guitarra do álbum e participou dos arranjos de base.

Dentre as referências e homenagens, há também a faixa Laudir’s Theme, dedicada ao percussionista Laudir de Oliveira que, além de ter integrado a banda de rock Chicago, também gravou com o Bossa no passado.

“Esse álbum que gravamos agora tem algo de novo, que é ser inteiramente instrumental. A ideia original veio deles, a inspiração das melodias veio de mim e eles completaram o trabalho de uma maneira muito legal”, explicou Menescal sobre sua relação com o trio.

Com vários convidados especiais, Bossa Got The Blues torna-se ainda mais especial por se tratar de um dos últimos trabalhos de Paulinho Trompete, que faleceu no início de agosto, após assinar os arranjos de 1937, Train To Ipanema, Bossa Got The Blues e Vou Nessa. Além de arranjador, Paulinho foi responsável por tocar trombone, trompete e fluguelhorn no disco.

Alguns dos outros notáveis que contribuíram para a riqueza de detalhes e sons do álbum foram Carlos Malta (pícolo, pífano e flauta baixo em dó), Sidinho e Ian Moreira (percussão), Flavio Guimarães (gaita), Jota Moraes (vibrafone), Leo Gandelman (metais, barítono e tenor) e o bloco carnavalesco Rio Maracatu, que trouxe um pouco da música nordestina para o álbum.

Moderna desde seu surgimento e sempre aberta às experimentações, a bossa nova ganha peso e torna-se dançante — com samples, instrumentos orgânicos sem agrotóxicos, guitarras, teclados analógicos e muito dub — no novo disco. O blues se junta à mistura como resultado, principalmente, da influência de Roberto Menescal, que aprecia e entende profundamente do ritmo americano e suas vertentes.

Um carro-chefe da música brasileira no exterior, a bossa alinha-se ao blues quase que trazendo de volta à sua terra um pouco do que absorveu em sua circulação pelo mundo.

Além das plataformas digitais, Bossa Got The Blues também chega em CD e vinil. Com fotos de Marcos Hermes, capa de Luciana Andrade e projeto gráfico de Leandro Arraes, as cópias físicas chegarão às lojas em 13 e 20 de setembro, respectivamente.

Ouça:

https://open.spotify.com/album/4p22TSGfHnoBdmkWJBjAMS

Continue Reading

MPB & SAMBA

Karinah, destaque do samba atual, lança o clipe de “Medo de Amar”

Published

on

Karinah, destaque do samba atual, lança o clipe de "Medo de Amar"
Divulgação

Cantora de destaque do universo do samba, Karinah lançou neste sábado (31) o clipe da música Medo de Amar, com direção assinada por Dig-Jam e direção de arte de Zeca Carratu. O single, que já está disponível em todas as plataformas digitais pela Sony Music, é parte integrante do mais novo EP da artista – o primeiro de uma série de quatro – que apresenta a nova fase da carreira da artista, liderada pela equipe da Fanática Entretenimento (Sorriso Maroto) em parceria com a gravadora.

“Trouxemos o espírito mágico dos grandes espetáculos da Disney para o clipe da Karinah”, explica o diretor. “O fundo do cenário e o longo vestido que ela usa muda de visual várias vezes ao longo do vídeo. São imagens bonitas e marcantes, como se ela trocasse de roupa a cada momento da canção. Unimos tecnologia, fantasia e samba no pé, trazendo também o expert Marcelo Chocolate, coreógrafo da Alcione e da Dança dos Famosos, com a essência do samba de gafieira, de raiz, para dançar com ela”, conta ele, que utilizou técnicas e equipamentos de última geração na produção. “O que há de mais moderno nas feiras internacionais para termos este resultado”, frisa.

O EP 01 foi lançado em maio com três músicas: o novo hit Medo de Amar, composição de Maurício Bressan, e as inéditas Nosso Amor é uma Onda e Você Sabe Bem.

Um samba alegre, convidativo e envolvente, Medo de Amar já disse a que veio logo em sua estreia nas rádios, no dia 21 de agosto: chegou ao primeiro lugar na média nacional do segmento (conte-se aí capitais disputadas como Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Recife e foi a mais tocada entre todas as músicas em Salvador, Aracaju e Florianópolis.

“Fiquei muito feliz com a receptividade e mostra que todo nosso empenho está valendo a pena”, vibra Karinah, que já fez duetos com nomes como Ivete Sangalo, Péricles, Xande de Pilares, Dudu Nobre, Arlindo Cruz e Luiz Melodia.

Confira:

Continue Reading

As Mais Lidas