Connect with us
Trompetista Lucienne Renaudin-Vary lança o novo álbum "Mademoiselle in New York" Trompetista Lucienne Renaudin-Vary lança o novo álbum "Mademoiselle in New York"

JAZZ SOUL R&B

Trompetista Lucienne Renaudin-Vary lança o novo álbum “Mademoiselle in New York”

Divulgação | Warner Music Brasil

Published

on

A trompetista francesa Lucienne Renaudin-Vary faz uma travessia musical transatlântica no segundo álbum da carreira, Mademoiselle in New York, já disponível pela Warner Classics, em todas as plataformas digitais. O projeto foi antecipado em agosto pelas faixas: Se Tu Vois Ma Mère e Pavane Pour une Infante Défunte, de Ravel.

Embora traga mais compositores norte-americanos, liderados por Bernstein e Gershwin, Mademoiselle in New York também chega com faixas dos franceses Maurice Ravel e Charles Aznavour. No setlist, foram incluídos ainda um número do alemão Kurt Weill e até uma melodia de Dvořak, tcheco responsável pela composição da sinfonia New World e que, posteriormente, se tornou diretor do Conservatório Nacional de Música em Nova York.

Trompetista Lucienne Renaudin-Vary lança o novo álbum "Mademoiselle in New York"

O intercâmbio cultural do projeto fica claro em Si Tu Vois Ma Mère. Coração do álbum, a faixa original é de Sidney Bechet. Nascido em Nova Orleans (EUA), o artista passou vários anos em Paris, tendo morrido lá, em 1959, e para sua obra, transpôs todos esses anos na cidade luz. Woody Allen, o arquetípico nova-iorquino, incluiu a faixa no conhecido longa Meia-Noite em Paris, sucesso de 2011.

Si Tu Vois Ma Mère é a sétima faixa do álbum e, juntamente com Pavane Pour une Infante Défunte, de Ravel, puderam ser degustadas antecipadamente, em todas as plataformas digitais, aquecendo o público para hoje, dia da estreia completa do projeto.

“O trompete é a minha voz”, diz Lucienne Renaudin Vary, de 20 anos. Ganhadora do prêmio Revelação de 2016 oferecido pela prestigiosa premiação Victoires de La Musique Classique, a artista fez história ao se tornar a primeira trompetista a conquistar vagas simultâneas como estudante de música clássica e jazz no prestigiado Conservatório Nacional de Paris.

“Eu me sinto mais em casa quando estou tocando do que se eu tivesse que cantar – ou até mesmo falar”, comenta Lucienne Renaudin-Vary. “Os trompetistas e os cantores respiram da mesma maneira. Eu passo muito tempo ouvindo os cantores: sou fascinada por sua espontaneidade, expressividade, fraseado e a relação entre música e palavras. E essas coisas realmente inspiram o meu modo de tocar”.

Sobre o álbum de estreia The Voice of the Trumpet lançado em 2017, a Gramophone disse: “Seu tom amanteigado é maravilhoso, aplicando um filtro esfumaçado para alguns dos números mais jazzísticos”.

Ouça o álbum:

Continue Reading
Advertisement

JAZZ SOUL R&B

Morre aos 90 anos, Lennie Niehaus, que compôs trilhas para filmes de Clint Eastwood

Published

on

Morre aos 90 anos, Lennie Niehaus, que compôs trilhas para filmes de Clint Eastwood 
Reprodução | Warner Bros Pictures | Photofest

Lennie Niehaus, lendário saxofonista que trabalhou na composição de trilhas sonoras para filmes de Clint Eastwood, morreu aos 90 anos de causas naturais. As informações são do portal The Hollywood Reporter, que recebeu a confirmação do óbito através dos familiares do músico.

Morre aos 90 anos, Lennie Niehaus, que compôs trilhas para filmes de Clint Eastwood 

Foto: Reprodução | Warner Bros Pictures | Photofest

Lennie Niehaus conheceu Clint Eastwood nos anos 1950. Ambos tinham como afinidade, o jazz. Niehaus orquestrou partituras para filmes estrelados por Eastwood como Tightrope (1984), Pale Rider (1985), entre outros.

O saxofonista conquistou o BMI Film & TV Awards pelos trabalhos em Heartbreak Ridge (1986), Unforgiven (1992), The Bridges of Madison County (1995) e Space Cowboys (2000).

Continue Reading

JAZZ SOUL R&B

Bob Hurwitz é homenageado por Laurie Anderson, Philip Glass e Pat Metheny em “I Still Play” 

Álbum traz onze temas inéditos para piano

Published

on

Bob Hurwitz é homenageado por Laurie Anderson, Philip Glass e Pat Metheny em "I Still Play"
Divulgação | Nonesuch Records

Bob Hurwitz, o homem que presidiu a Nonesuch Records de 1984 a 2017, é homenageado na compilação I Still Play por grandes nomes como Laurie Anderson, Philip Glass e Pat Metheny. O álbum, já disponível em todas as plataformas digitais pela Warner Music, traz 11 temas inéditos para piano.

Bob Hurwitz é homenageado por Laurie Anderson, Philip Glass e Pat Metheny em "I Still Play"

Foto: Divulgação | Nonesuch Records

As peças foram apresentadas pela primeira vez na Academia de Música do Brooklyn (BAM), em 2017, em um concerto comemorando o mandato de Hurwitz na gravadora. Na ocasião, ele assumiu o cargo de Presidente Emérito, depois de administrar o selo por mais de três décadas.

David Bither, atual presidente da Nonesuch, disse sobre I Still Play: “O grande amigo de Bob, John Adams, merece crédito pela ideia que está no centro desta gravação. Eu pedi sua ajuda para pensar em como poderíamos homenagear Bob. Algumas semanas depois, ele sugeriu que perguntássemos aos compositores que haviam trabalhado tão intimamente com Bob que cada um escrevesse para ele uma nova peça musical, uma sugestão honrosa, mas com uma reviravolta”.

I Still Play inclui composições de John Adams, Laurie Anderson, Timo Andres, Louis Andriessen, Donnacha Dennehy, Philip Glass, Nico Muhly, Brad Mehldau, Steve Reich, Pat Metheny e Randy Newman. As peças foram gravadas por Andres e pelos companheiros de Nonesuch, os artistas Jeremy Denk, e também os próprios Mehldau e Newman.

Ouça o álbum:

Continue Reading

JAZZ SOUL R&B

Hyldon participa da live “Warner Music Entrou na Sala”

Published

on

Hyldon participa da live "Warner Music Entrou na Sala"
Daryan Dornelles

Um dos grandes nomes de nossa música, o soulman Hyldon confirmou suas participação no evento online Warner Music Entrou Na Sala que acontecerá nesta quinta-feira (19) às 17h no Instagram oficial da gravadora.

Hyldon participa da live "Warner Music Entrou na Sala"

Foto: Divulgação | Daryan Dornelles

Conhecido como o soulman brasileiro, Hyldon é responsável pelo clássico Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda (Casinha de Sapê) nos anos 1970, faixa que foi revisitada nos anos 1990 pela banda Kid Abelha.

Considerado um dos precursores da música soul brasileira, Hyldon, que além de sua inconfundível voz é produtor, guitarrista e baixista, falará sobre sua carreira neste evento.

Já participaram do Warner Music Entrou na Sala, outros grandes artistas como Tiê, Olodum, Salgadinho, Sula Miranda e a banda nore-americana Bliss.

Continue Reading

As Mais Lidas