Connect with us
Vevo: "Despacito" de Luis Fonsi e Daddy Yankee é o video mais assistido da década Vevo: "Despacito" de Luis Fonsi e Daddy Yankee é o video mais assistido da década

MERCADO

Vevo: “Despacito” de Luis Fonsi e Daddy Yankee é o video mais assistido da década

Reprodução | YouTube | VEVO

Published

on

Em comemoração aos 10 anos de sua fundação, a plataforma Vevo, uma joint-venture da Universal Music Group, Sony Music Entertaiment, Abu Dhabi Media e Alphabet, anunciou nesta quarta-feira (16), os 10 videoclipes mais assistidos da década.

Vevo: "Despacito" de Luis Fonsi e Daddy Yankee é o video mais assistido da década

Quem está no topo da referida lista é Despacito, de Luis Fonsi com colaboração de Daddy Yankee com 6,4 bilhões de views desde o seu lançamento em 2017. Ele é seguido por Uptown Funk de Mark Ronson e Bruno Mars com 3,6 bilhões de views e Sorry de Justin Bieber, completando os três primeiros com 3,1 bilhões de views.

“Ser capaz de compartilhar minha música é algo absolutamente valioso para mim e, graças a Vevo, sou capaz de fazer exatamente isso”, disse Luis Fonsi. “Feliz aniversário de 10 anos da Vevo, continue com obom trabalho e obrigado novamente por abrir a porta de nós artistas para o mundo através de sua plataforma”.

Desde sua criação em 2009, a Vevo abriga mais de 400 mil videoclipes oficiais, originais e exclusivos.

Confira a lista completa dos 10 videoclipes mais assistidos da década pela Vevo:

1. Despacito por Luis Fonsi e Daddy Yankee – 6,46 bilhões de views
2. Uptown Funk por Mark Ronson e Bruno Mars – 3,67 bilhões de views
3. Sorry por Justin Bieber – 3,19 bilhões de views
4. Sugar por Maroon 5 – 3,04 bilhões de views
5. Roar por Katy Perry – 2,92 bilhões de views
6. Counting Stars por OneRepublic – 2,84 bilhões de views
7. Shake It Off por Taylor Swift – 2,83 bilhões de views
8. Bailando por Enrique Iglesias, Descemer bueno e Gente De Zona – 2,77 bilhões de views
9. Dark Horse por Katy Perry e Juicy J – 2,65 bilhões de views
10. Hello por Adele – 2,57 bilhões de views

MERCADO

Sony lança edição comemorativa do Walkman para o seu 40º aniversário

Modelo foi anunciado na IFA 2019 em Berlim. NW-A100TPS revisita o primeiro aparelho produzido em 1979

Published

on

Sony lança edição comemorativa do Walkman para o seu 40º aniversário
Divulgação

A Sony anunciou durante a IFA 2019 em Berlim uma nova versão do Walkman, o aparelho que revolucionou o mercado de eletrônicos na época e a forma como ouvimos música. O novo modelo NW-A100TPS contará com um logotipo comemorativo dos 40 anos de lançamento do aparelho original, o TPS-L2 de 1979.

Sony lança edição comemorativa do Walkman para o seu 40º aniversário

O NW-A100TPS será um lançamento especial que contará com uma interface de fita cassete exclusiva, além de ser equipado com o Android e novos recursos para audiófilos. Neste item de série, será incluído um amplificador digital S-Master HX para fornecer áudio de alta resolução e reduzir a distorção, além de um processador DSEE HX que aprimora o áudio compactado e um processador de vinil para, incorporar nas faixas digitais, o som característico do formato.

Outro ponto importante do novo Walkman é a sua bateria: ela vai durar bem mais do que os smartphones atuais, com 26 horas de duração. O novo aparelho também conta com uma porta USB-C.

A Sony ainda não divulgou a data de lançamento do NW-A100TPS e seu preço.

Continue Reading

MERCADO

Tencent procura investidores para celebrar compra da Universal Music, reporta publicação

Gigante chinesa já conversa com potenciais co-investidores para realizar a oferta de compra de 10%
à Vivendi

Published

on

Tencent procura investidores para celebrar compra da Universal Music, reporta publicação
Divulgação

A gigante de tecnologia chinesa Tencent está se aproximando de várias empresas para iniciar a oferta de compra referente a 10% da Universal Music Group que é parte da francesa Vivendi. As informações são da Bloomberg e do Digital Music News.

Tencent procura investidores para celebrar compra da Universal Music, reporta publicação

Para isso, a Tencent mantém diálogo com a Hillhouse Capital e um fundo soberano em Cingapura chamado GIC Pte. Se a empresa chinesa formar algum consórcio, espera-se que a compra seja celebrada nos próximos meses.

Ainda de acordo com a publicação, o preço de 3 bilhões de euros referente aos 10% da participação na UMG, a Tencent ainda planeja aumentar um terço por meio de financiamento por dívida, sendo o restante proveniente de investimentos em ações.

A Tencent poderá adquirir até 20% da Universal Music Group, já que a empresa possui uma opção de compra de um ano da Vivendi por 10% adicionais da UMG.

A Digital Music News também informou que as notícias sobre uma possível aquisição da Tencent sobre a UMG, colaboraram para que os preços das ações da empresa chinesa subissem 2,1% na bolsa de Hong Kong.

Continue Reading

MERCADO

Michael Jackson: lucros obtidos após morte do artista diminuem

Published

on

Michael Jackson: lucros ocorridos após morte do artista diminuem
Divulgação

A Forbes fez uma análise interessante sobre os ganhos que os representantes legais do espólio fonográfico e editorial de Michael Jackson obtiveram desde a morte do cantor em 2009. Houve uma diminuição drástica nos valores, mas que, segundo a publicação, não foram resultado do impacto das recentes alegações de abuso contra o artista como são relatadas no documentário Deixando Neverland. As questões são mais mercantis que morais.

Michael Jackson: lucros ocorridos após morte do artista diminuem

Nos últimos anos, a obra de Michael Jackson rentabilizou US$ 400 milhões, elevando seu total pós-morte para US$ 2,4 bilhões. Contudo, de acordo com a publicação, a arrecadação em 2019 foi drasticamente reduzida para US$ 60 milhões.

A Forbes explica que em 2018, os ativos de Michael Jackson resultaram em quase US$ 300 milhões depois da venda da participação do cantor na editora EMI Music Publishing. Soma-se a isto, um novo contrato de gravação com a Sony Music Entertainment e valores recebidos para que um especial de Halloween fosse realizado na emissora CBS.

E não para por aí: os totais de streaming da obra fonográfica de Michael Jackson nos EUA subiram de 1,8 bilhão para 2,1 bilhões, um aumento significativo de 17%.

Ou seja, todos os ganhos de Michael Jackson que resultavam a cada ano em US$ 100 milhões, com celebrações póstumas e lançamentos especiais após a sua morte foram concluídos.

“Michael Jackson talvez tenha sofrido um pouco demais na mão dos críticos, mas provavelmente recebeu uma quantidade igual de apoio dos fãs”, observa David Bakula, vice-presidente sênior de Insight e Analytics da Nielsen Music. “Ele continuará a crescer porque o streaming continua a crescer e porque ele tem algumas músicas pop incrivelmente populares”, concluiu.

Continue Reading

As Mais Lidas