LANÇAMENTOS

Warner lança coletânea que comemora 60 anos da Bossa Nova

By  | 

Com textos de Tárik de Souza

A gravadora Warner Music lançou nesta semana a compilação Bossa Nova 60 Anos que conta com grandes clássicos de um gênero que projetou a música brasileira para o estrelato mundial. A coletânea é uma celebração abrangente e atemporal das seis décadas do movimento musical que mudou a estrutura da MPB.




Já está disponível em todas as plataformas digitais e também no formato físico Bossa Nova 60 Anos, uma compilação de pérolas raras, uma celebração abrangente e atemporal das seis décadas do movimento musical que mudou a estrutura da MPB.

Para compor o projeto, foram escalados precursores como Tito Madi, responsável pela sutil interpretação de Duas Contas, de GarotoFoi a Noite, de Tom Jobim e Newton Mendonça, O Nosso Olhar, de Sergio Ricardo, além da faixa do refinado compositor de Cansei de Ilusões. Marcam presenças também, pré-modernistas como Nora Ney, responsável por dar voz à Quando a Noite Me Entende, de Antonio Maria e Vinicius de Moraes, O Que Vai Ser de Mim, de Tom Jobim, e Dóris Monteiro, intérprete de Se É Por Falta de Adeus, de Tom Jobim e Dolores Duran.

O reformista pioneiro, Johnny Alf ganha espaço no projeto com um ícone de seu repertório, Céu e Mar na voz iluminada de Agostinho dos Santos, responsável pela projeção mundial de temas do filme Orfeu Negro, como Manhã de Carnaval e Samba do Orfeu, ambas de Luis Bonfá e Antonio Maria. Emissão guia da bossa, João Gilberto marca presença em Bossa Nova 60 Anos com o mega clássico O Barquinho, originalmente composto por Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, e Triste, de Tom Jobim.

O próprio Jobim é ouvido em outra de suas obras primas, Samba de Uma Nota Só, composição com Newton Mendonça. O tropicalista Tom Zé aparece em A Felicidade, parceria com Vinicius de Moraes. Da ala engajada da bossa, mas sem perder o lirismo, cintilam Carlos Lyra (Tem Dó de Mim, Cara Bonita) e Sérgio Ricardo (Calabouço), este ainda revisitado por Sérgio Augusto (Enquanto a Tristeza Não Vem), da ala paulista do movimento, com o estandarte Barquinho Diferente.

Ideólogo dos afro sambas, Vinicius de Moraes marca presença com os sucessos Canto de Ossanha e Berimbau, esculpidos pelo parceiro e sumo sacerdote do violão, Baden Powell, também coautor da homenagem Feitinha Pro Poeta com Lula Freire. Numa reverência aos antecessores, o tropicalista Gilberto Gil navega nas notas fluídas da bossa com Mar em Copacabana.

Confira o conteúdo de Bossa Nova 60 Anos:

CD1

1. TEM DÓ DE MIM (CARLOS LYRA)
2. BARQUINHO DIFERENTE (SÉRGIO AUGUSTO)
3. DUAS CONTAS (TITO MADI)
4. O QUE VAI SER DE MIM (NORA NEY)
5. O NOSSO OLHAR (TITO MADI)
6. SE É POR FALTA DE ADEUS (DORIS MONTEIRO)
7. SAMBA DO ORFEU (AGOSTINHO DOS SANTOS)
8. CALABOUÇO (SERGIO RICARDO)
9. QUANDO A NOITE ME ENTENDE (NORA NEY)
10. TRISTE (JOÃO GILBERTO)
11. O BARQUINHO (JOÃO GILBERTO)

CD2

1. FOI A NOITE (TITO MADI)
2. CARA BONITA (CARLOS LYRA)
3. CÉU E MAR (AGOSTINHO DOS SANTOS)
4. A FELICIDADE (TOM ZÉ)
5. BERIMBAU (BADEN POWELL)
6. ENQUANTO A TRISTEZA NÃO VEM (SÉRGIO AUGUSTO)
7. FEITINHA PRO POETA (BADEN POWELL)
8. CANSEI DE ILUSÕES (TITO MADI)
9. MANHÃ DE CARNAVAL (AGOSTINHO DOS SANTOS)
10. MAR EM COPACABANA (GILBERTO GIL)*
11. CANTO DE OSSANHA (BADEN POWELL)
12. SAMBA DE UMA NOTA SÓ (ANTONIO CARLOS JOBIM)

* apenas na versão física

 

É jornalista e pesquisador musical. Cobre shows nacionais e internacionais e já entrevistou bastante gente interessante do Brasil e do mundo. Foi vencedor do Prêmio TopBlog Brasil em 2010 na categoria "Música"e foi membro do Grammy Latino.